Autoajuda no amor

Aprender a amar

O amor talvez seja o mais antigo e persistente vício do ser humano, desde tempos remotos. No entanto, diferente de outros vícios, não existem grupos de autoajuda que apoiem quem sofra pela sua dependência. Amar e ser amado é parte de uma difícil aprendizagem.

Se você é daqueles que não podem viver sem sentir constantemente borboletas no estômago e está o tempo todo na busca de um amor mágico, capaz de provocá-las, pode ser que sofra do mais feliz, embora frequentemente, também mais terrível, de todos os vícios: o vício do amor.

O vício do amor é um comportamento compulsivo que leva homens e mulheres a amar demais. Esta forma pouco saudável de amar tende a criar dolorosas dependências, detrás das quais se esconde a incapacidade de amar a si mesmo.

Isto foi, em grande medida, propiciado pelas crenças distorcidas sobre o amor, em uma cultura que supervaloriza o amor sem limites e a vida de casal como a principal forma de autorrealização, a qualquer custo. Longe disso, o verdadeiro amor não deve te prejudicar na sua realização pessoal, nem no amor a si mesmo. Por isso, é importante estabelecer no começo de todo relacionamento os limites do amor.

Amar é uma aprendizagem, no qual se trata de desenvolver a inteligência romântica: como ser inteligente também no amor, para poder estabelecer vínculos enriquecedores, que permitam uma vida compartilhada plena e feliz.

Basicamente, isto se relaciona com a inteligência emocional, um indicador do potencial que se tem para ser feliz, aplicável ao mesmo tempo, à inteligência romântica, quando se trata de desenvolver atitudes e comportamentos para construir um relacionamento baseado em laços de amor, que favoreçam a felicidade no casal.

Odile Lamourère, uma especialista em terapia gestáltica, destaca no seu livro Solteiros de hoje: o amor em tempos de independência, que é curioso ver como superados em grande parte estes preconceitos culturais, que durante séculos supervalorizaram a vida a dois, não só proliferam novos tipos de solteirismo em todas as idades, mas também se fala do amor, embora também tenha aumentado o medo ao amor.

Se não é o seu caso e você ainda deseja encontrar o verdadeiro amor, existe abundante literatura que pode te dar as chaves essenciais para descobrir o amor da sua vida.


Nenhum comentário

Você pode comentar no Facebook e no Google +, ou se preferir fazê-lo de forma anônima no nosso sistema de comentários

Comente no Facebook
Comente na Innatia

Escreva seu comentário sobre "Autoajuda no amor"

Comente no Google+