Graviola e Câncer: inimigos íntimos

Suas propriedades anticancerígenas

Todas as partes da árvore da graviola são utilizadas na alimentação e medicina natural contra diversas doenças e para obter um melhor funcionamento do organismo. No entanto, se destacam especialmente as propriedades da graviola contra o câncer.

Nas regiões tropicais sul-americanas, onde a árvore cresce naturalmente, tanto as raízes como a fruta e suas sementes se utilizaram ancestralmente por suas propriedades em benefício da saúde.

Entre algumas dessas utilidades, pode se destacar que a fruta e o sumo de fruta se tomam para combater os parasitas, para aliviar febres e contra a diarreia. As sementes trituradas, por sua vez, se utilizam contra piolhos e vermes. Enquanto isso, o chá se usa para problemas de fígado.

Mas estes destinos da graviola ganharam atualmente um aspecto secundário diante da sua potencialidade anticancerígena. Segundo os últimos descobrimentos, os parasitas teriam uma importante incidência no câncer e, como dissemos anteriormente, a graviola parece ser uma arma eficaz contra eles.

De acordo com as mencionadas investigações, todos os pacientes de câncer estão infectados com parasitas, que criam uma importante quantidade de tóxicos dentro do corpo, com seus excrementos e sua urina, fazendo sucumbir as defesas do organismo, que fica descoberto diante do ataque das células cancerígenas.

Por esta razão, a importância da graviola diante do câncer, devido à sua propriedade de desverminar, ganha dia a dia maior importância. Resultados de estudos efetuados desde 1997 até a atualidade nos Estados Unidos, na Universidade de Purdue, Indiana, em tratamentos de tumores cancerígenos com substâncias presentes na graviola, foram altamente positivos, reconfirmando análises anteriores realizadas entre 1941 e 1962.

Vários estudos demonstraram que os extratos da folha, casca, raiz, broto e semente da graviola são antibacterianos, enquanto a casca tem também características antimicóticas. As sementes, por sua vez, demonstraram também propriedades para desverminar.

A investigação sobre esta mágica árvore segue em curso, conhecendo-se novos avanços fitoquímicos específicos que estão demonstrando as características anticancerígenas da graviola contra quase todos os tipos deste terrível mal.

Um estudo ainda não concluído, aportaria indícios de que o uso da graviola começaria a controlar em 48 horas o crescimento de um tumor. Diante disso, existe muito interesse na comunidade científica em conseguir sintetizar estes produtos químicos naturais para incorporá-los em novas drogas.


IMPORTANTE: A missão do "Graviola e Câncer: inimigos íntimos" é te ajudar a estar informado. NUNCA substitua a consulta médica.

Nenhum comentário

Você pode comentar no Facebook e no Google +, ou se preferir fazê-lo de forma anônima no nosso sistema de comentários

Comente no Facebook
Comente na Innatia

Escreva seu comentário sobre "Graviola e Câncer: inimigos íntimos"

Comente no Google+