Reflexões sobre a perda da autoestima

Perder a autoestima

Geralmente todos acreditamos que o nosso próprio valor depende do que conseguimos ou do que as outras pessoas pensam de nós. Achamos que nosso próprio valor depende de fatores externos, em vez de fatores internos. Se aceitarmos o fato de que já somos dignos e valiosos, poderemos sair dessa cilada.

Perder a autoestima significa não reconhecer nosso próprio valor

Eu acredito que em geral todos achamos que o nosso próprio valor depende do que conseguimos ou do que as outras pessoas pensam de nós. Pensamos que o nosso próprio valor depende de fatores externos, em vez de fatores internos.

Porque temos a tendência de nos esquecer que o nosso próprio valor não depende de fatores externos, facilmente perdemos nossa autoestima. Isto é como viver preso em um círculo vicioso "Aumentando nossa autoestima e perdendo nossa autoestima".

Eu descobri que há situações que nos levam a perder nossa autoestima quando por exemplo outra pessoa nos critica ou quando cometemos um erro ou quando não conseguimos os resultados que buscávamos. Também, quando em um grupo não captamos a atenção de alguém. Todas estas percepções vão nos levar a perder nossa autoestima porque continuamos associando o nosso próprio valor com elas.

Como evitamos perder a autoestima

Eu acho que a melhor maneira de sair desta cilada é vivendo consciente. Por exemplo, vou pegar a situação em que uma pessoa me critica. Se eu não estou consciente nesse momento, vou terminar acreditando que eu não sou valiosa se a pessoa não me aceita. Por outro lado, se eu tomo consciência nesse momento do que está acontecendo posso me fazer algumas perguntas:

É verdade que minha própria valia depende do que a outra pessoa diz?
É verdade o que esta pessoa está dizendo?

Então, se o que a pessoa está criticando é verdade começaria a pensar nisso, contudo, o fato é que eu continuo sendo digna e valiosa apesar do que a pessoa critique. Essa é a verdade.

Isso é dificil de entender algumas vezes porque fomos criados com a crença de que se fiz algo bem quando criança era uma "boa menina". Mas se fiz algo ruim era uma "menina má". O fato é que uma criança não é boa nem má, o comportamento pode ser errado ou incorreto mas a dignidade e valor da criança não muda. Isso te soa familiar? Alguns pais dizem: você fez isso, não te quero mais. Então, qual é a conclusão que tiramos? Eu não sou digno nem valioso.

Conclusão

Não temos que fazer nada para nos tornarmos mais dignos ou valiosos, portanto todas estas situações que nos mantêm perdendo nossa autoestima são criadas pela crença de que nossa dignidade e valor depende de fatores externos. Se podemos de alguma maneira nos colocarmos em contato com nós mesmos e nos permitir aceitar o fato de que já somos dignos e valiosos, vamos poder sair desta cilada.

Em cada aspecto de nossas vidas, sempre estamos nos perguntando "Qual é o meu valor?", "Sou valioso?". Eu penso que nossa dignidade e valor é nosso direito de nascimento. Oprah Winfrey

Nenhum comentário

Você pode comentar no Facebook e no Google +, ou se preferir fazê-lo de forma anônima no nosso sistema de comentários

Comente no Facebook
Comente na Innatia

Escreva seu comentário sobre "Reflexões sobre a perda da autoestima"

Comente no Google+