As tatuagens já não são coisa só de jovens

Os intrusos põem em risco a saúde nas tatuagens

As tatuagens ressurgiram transformadas numa autêntica arte aplicada à estética corporal. No entanto é preciso ter cuidado na hora de escolher com quem se tatuar.

As tatuagens ressurgiram transformadas numa autêntica arte aplicada à estética corporal. No entanto, a vertente sanitária do que sem dúvida é uma intervenção sobre a pele costuma não desfrutar da atenção que deveria.

A arte de decorar o corpo procede de culturas antiquíssimas que a utilizavam com fins religiosos, políticos e inclusive militares. No entanto, foram os jovens de finais dos anos 60 e inícios dos anos 70 que encontraram na tatuagem um meio de expressar sua rebeldia e sua filosofia anti-sistema. Aqueles jovens amadureceram e a "moda" passou dessa para uma melhor.

Atualmente existe um ressurgimento da tatuagem com fins e objetivos bem diferentes. Incorporado ao mundo do estilismo como mais um meio estético, se tornou uma verdadeira arte e se aplica em pessoas de idades e estratos sociais cada vez mais diversos, de forma que não resulta estranho observar interesse pela tatuagem em pessoas de mais de 40 anos.

Entretanto, toda tendência social em ascenso apresenta perigos, rostos ocultos que, se não forem levados em conta, podem acarretar consequências negativas. No caso concreto da tatuagem, sua vertente sanitária deve ser observada com muita atenção, já que se trata de uma técnica baseada em intervenções invasivas. Medidas necessárias como a higiene e a esterilização dos instrumentos são primordiais para não causar prejuízos à saúde do cliente.

É por isso que é aconselhável que, antes de colocar nas mãos de um suposto profissional da tatuagem, a gente faça as coisas com cautela. Existem, por exemplo, tintas homologadas para ser aplicadas diretamente, sem misturá-las com a água nem nenhum outro líquido. No entanto, alguns "tatuadores" as misturam porque dessa forma economizam material.

É indispensável, por outro lado, tomar as medidas oportunas para garantir a higiene tanto dos instrumentos como da parte do corpo que vai ser tatuada. Uma olhada nos preparativos prévios basta para saber se estamos diante de um profissional ou não.

O auge da tatuagem provocou o surgimento de "intrusos", supostos "profissionais" que não têm nem os conhecimentos nem a preparação necessária para realizar este tipo de intervenções e que, como consequência, podem provocar sem saber sérios problemas de saúde nas pessoas que confiam no seu bom trabalho. Convém se certificar antes de colocar nossa pele nas suas mãos.


Nenhum comentário

Você pode comentar no Facebook e no Google +, ou se preferir fazê-lo de forma anônima no nosso sistema de comentários

Comente no Facebook
Comente na Innatia

Escreva seu comentário sobre "As tatuagens já não são coisa só de jovens"

Comente no Google+