Crises de ausência em crianças e adultos: o que são e como curá-las?

Tudo sobre este tipo de convulsões epilépticas

A crise de ausência ou ausências típicas são um tipo de ataque epiléptico muito comum em pessoas menores de 20 anos. Saiba como identificá-las, seus sintomas e como agir frente a elas.

As ausências típicas também são denominadas crises de ausência, epilepsia menor ou por seu nome original "petit mal" e são um tipo de convulsão breve que gera, tal como seu nome diz, ausências. Segundo as estatísticas se apresentam em aproximadamente 25% de pacientes epilépticos menores de 20 anos. Mas vejamos detalhadamente do que se tratam as crises de ausência e como tratá-las, não sem antes repassar o que é uma crise epiléptica.

O que são as crises epilépticas

A epilepsia é uma doença neurológica do sistema nervoso central que produz diferentes manifestações como perda de conhecimento, crise e convulsões. Para entender esta doença só se precisa conhecer de onde vem o termo epilepsia e sua origem está no termo grego "epilambaneim", cuja tradução é algo assim como "pegar de surpresa".

As crises epilépticas são ataques repentinos, inesperados e bruscos que se produzem por uma atividade anormal nos neurônios. Estas crises podem durar segundos ou alguns poucos minutos. Há diversas crises, entre as que se destacam alguns tipos de convulsões.

Tipos de convulsões

Em primeiro lugar é importante diferenciar dois grandes tipos: as crises parciais e as generalizadas. As primeiras se distinguem porque a descarga neural se produz numa área e logo pode se estender o para o resto do cérebro, enquanto as generalizadas afetam o cérebro completamente.

Crises parciais

Há três tipos de crises epilépticas simples ou focais: a parcial simples, parcial complexa e secundariamente generalizada.
Crise parcial simples. A pessoa não perde o conhecimento, se produzem alterações sensoriais, do movimento e a memória.
Crise parcial complexa. A pessoa perde o conhecimento e realiza movimento repetidamente. De fora você pode ver que atravessa uma espécie de transe.
Crise secundariamente generalizada. Embora esta crise comece como parcial, se estende por todo o cérebro e se transforma numa generalizada.

Crises generalizadas

Há cinco tipos de crises epilépticas generalizadas, estas ocorrem em todo o cérebro e se caracterizam pela perda de conhecimento do paciente.

  • Crise de ausência. É o tipo de crise que abordaremos detalhadamente mais tarde, se caracteriza pela parada de atividades repentina. A pessoa que sofre com ela mantém a vista fixa num ponto, às vezes pode ter alguns leves movimentos faciais e pestanejo.
  • Crises mioclônicas. Os músculos se sacodem repentina e violentamente, é uma das crises epilépticas mais conhecidas.
  • Crise tônica. Os músculos se esticam e colocam rígidos.
  • Crise atônica. O paciente epiléptico desmorona ou cai ao chão devido a que os músculos afrouxam.
  • Crise generalizada tônico-clônica Os músculos do corpo todo ficam rígidos, a pessoa cai e começa a fazer movimentos violentos conhecidos como espasmos.

Sintomas de convulsões mais comuns

Embora cada tipo de crise epiléptica ou convulsões tenha seus sintomas característicos e que as distingue das outras. Mas há uma série de sintomas gerais que podem aparecer durante um ataque epiléptico.

  • Mudanças no comportamento.
  • Espuma na boca, baba.
  • Movimento estranho dos olhos.
  • Ranger dos dentes.
  • Perda do controle do esfíncter.
  • Espasmos musculares.
  • Leves alucinações visuais (luzes, linhas)
  • Ansiedade, medo, vertigem.
  • Grunhidos e resfôlegos.

Sintomas de epilepsia nas crianças

A epilepsia infantil é mais comum do que você acha, mais de 40% dos casos novos de epilepsia são detectados em crianças menores de 15 anos. No entanto com os estudos necessários e um tratamento adequado os pacientes podem ter uma excelente evolução e aprender a viver com sua doença ou no melhor dos casos se livrar dela.

Há dados esperançadores de acordo com as estatísticas de fundações relacionadas. Com o tratamento adequado, 70% das crianças não apresentam mais sintomas e, deste total, 60% não tem que receber mais tratamentos médicos. Só em 10% do total das crianças epilépticos a doença é intratável.

Quanto antes se detectar esta doença, melhor, razão pela qual é importante que você leve em conta os principais sintomas de epilepsia em crianças.

  • Crise de ausência.
  • Crise generalizada tônico-clônica.
  • Atordoamento.
  • Caminhada sem rumo.
  • Confusão ao falar.
  • Perda da tonificação muscular.
  • Emoções estranhas.

O que são as crises de ausência ou ausências típicas

As crises de ausência são uma alteração breve (geralmente de menos 15 segundos) das funções cerebrais em pessoas com epilepsia. Apresentam-se geralmente durante a infância, embora haja casos nos que se observaram em pessoas de até 20 anos.

Sintomas das crises de ausência

O principal sintoma das crises de ausência é que a pessoa que a sofre deixa suas atividades repentinamente e permanece estática, às vezes pode fazer pequenas gesticulações e pestanejar. Assim que é finalizada a crise, voltam às suas atividades normalmente e não se lembram do que aconteceu.

Não importa a atividade que esteja praticando, se você sofre uma destas crises é possível que esteja caminhando e se detenha imediatamente ou então que esteja falando e faça uma pausa inesperada para a outra pessoa.

  • Deterioração repentina da consciência.
  • Ausência do movimento, gesticulação, pestanejos.
  • Olhar fixo, interrupção do movimento e da fala.
  • São produzidas várias vezes por dia.

Embora este problema não gere males maiores, é bastante incômodo para o entorno da pessoa doente e pode causar problemas na aprendizagem, principalmente nos menorzinhos.

Crises de ausência em crianças

As crises de ausência em crianças são as mais comuns, geralmente se apresentam de 6 a 12 anos e muitas vezes são mal interpretadas, são confundidas com o déficit de atenção. Esta é uma das suas principais consequências, já que a aprendizagem das crianças é afetada por estas crises de ausência afetando o rendimento escolar.

Crises de ausência em adultos

É raro que as crises de ausência se apresentem na idade adulta, pelo menos por si só. Geralmente alguns sintomas destas crises aparecem como sintomas de outras crises mais complexas.

Remédios para tratar as crises

Tanto a epilepsia em crianças requer um acompanhamento profissional que indispensavelmente deverá realizar um ECG ou eletrocardiograma para revisar a atividade elétrica do cérebro. Uma tomografia computarizada ou uma ressonância magnética são outros estudos que se realizam para determinar a causa e localização do problema.

Seu médico te receitará a medicação adequada e também te comentará sobre algumas mudanças que como adulto ou criança deverá realizar para reduzir ao mínimo esta crise, estas mudanças incluem a alimentação e também a atividade física. No caso de que a medicação não funcione, será necessário intervir cirurgicamente.

É importante destacar que enquanto a pessoa estiver tendo uma crise epiléptica, você não deve intervir, a menos que possa se ferir ou ferir alguém. Lembre-se que seus movimentos são involuntários. Você nunca deve dar de beber nem colocar nada na sua boca, também não deve mexer suas mãos nem ter contato. Espere a que passe a crise para ajudá-lo, uma ação fora de lugar poderia piorar a crise.

Há alguns remédios caseiros naturais que podem te ajudar a tratar esta doença mas você nunca deve deixar de lado a medicação receitada.

Chá de valeriana

Devido às suas propriedades relaxantes um chá de valeriana ou seu consumo em comprimidos ou tintura são um excelente remédio caseiro para tratar as crises de epilepsia.

Preparar um chá ou infusão de valeriana é muito simples, você só tem que colocar duas colheres de valeriana para cada litro d’água a ponto de ferver, apagar o fogo e deixar repousar por 5 minutos.

Chá de sálvia e arruda

Esta combinação de ervas com propriedades relaxantes musculares é uma das mais recomendadas para prevenir crises de epilepsia.

Combine 15 gramas de cada erva para preparar este potente chá de arruda e sálvia para cada litro d’água. Deixe ferver 15 minutos e beba-o ao longo do dia.

Remédio de laranja

O conteúdo de vitamina B da laranja faz que seja um remédio natural para ajudar no bom funcionamento neurológico. Este remédio de laranja nada mais é do que u, sumo completo que contém sumo de 3 laranjas, uma cenoura, uma maçã e levedo de cerveja.

Para prepará-lo, você deve obter o sumo das laranjas, descasque a cenoura e a maçã (a esta você também deve tirar o coração). Ponha todos os ingredientes num liquidificador e beba em jejum para aproveitar ao máximo seus benefícios.

Remédio de avelãs, nozes e abacaxi

O conteúdo de manganês de ambos os ingredientes os transforma juntos num bom remédio para evitar convulsões.

Você precisa de um punhado de nozes, um menor de amêndoas e um abacaxi descascado. Primeiro deixe de molho os frutos secos durante uma noite, em seguida coe e clarei-os. Processe todos os ingredientes e adicione um pouco d’água se for necessário. Coe com gaze de algodão ou um coador fino e beba. Reserve a polpa que sobrar para preparar bolachas ou uma torta.

Tratamentos para as crises de ausência

Mudar o estilo de vida por um mais ativo e saudável é uma das recomendações dos médicos quando você enfrenta este diagnóstico. Fazer ioga, meditar e praticar atividades aeróbicas ajudará seu corpo a se manter equilibrado e a frequência das suas crises se reduzirá.

  • Ioga para manter a saúde. A ioga te ajudará a manter seu cérebro tranquilo, e os músculos relaxados. É especialmente bom para praticar após uma crise, assim seu corpo se equilibra novamente e você reduz as possibilidades de uma crise próxima.
  • Meditação para clarear a mente. A meditação é uma atividade que muitas pessoas acreditam essencial para se manter saudáveis e clarear os pensamentos. Manter o cérebro ativo e aprender a controlar seu corpo são apenas alguns dos benefícios que te ajudarão a lidar com as crises.
  • Exercícios aeróbicos para controlar seu corpo. A atividade física é muito importante em quase qualquer doença, especialmente as relacionadas ao cérebro. Se o seu corpo está saudável e balanceado tanto na alimentação como no exercício, é possível controlar mais facilmente a epilepsia.

Você acredita que se podem curar as crises de ausência?

Gráfico da enquete: Você acredita que se podem curar as crises de ausência?

Sim

29/3

Não

1/7

Talvez

7/2

O que você aconselha?




IMPORTANTE: A missão do "Crises de ausência em crianças e adultos: o que são e como curá-las?" é te ajudar a estar informado. NUNCA substitua a consulta médica.

1 comentário no "Crises de ausência em crianças e adultos: o que são e como curá-las?"

Você pode comentar no Facebook e no Google +, ou se preferir fazê-lo de forma anônima no nosso sistema de comentários

Comente no Facebook
Comente na Innatia
¡Carregando comentários!

cleide fideles de oliveira ...

este assumto me deixou bastante imformada pois temho uma netinha que vai faser dois animhos e com cinco messes ela deu uma crise levamos au medico comstatol eplepisia o remedio que ela toma e depaqne obrigada

0

31 de Mar - 18:41:59

Escreva seu comentário sobre "Crises de ausência em crianças e adultos: o que são e como curá-las?"

Comente no Google+