O cuidado dos pés: realidade e mitos

Verdades e mentiras sobre o cuidado dos pés

A mal chamada "cultura" popular gera, em muitas ocasiões, mitos surgidos de rumores que terminan sendo incoroporados à sociedade, como verdades inquestionáveis, apesar da duvidosa fiabilidad da sua origem.

A mal chamada "cultura" popular gera, em muitas ocasiões, mitos surgidos de boatos que terminam sendo incorporados pela sociedade, como verdades inquestionáveis, apesar da duvidosa confiabilidade da sua origem. No que diz respeito ao cuidado dos pés, os mitos existem, cada um mais perigoso e errado que o outro.

Um dos mitos mais enraizados é o da absurda crença que, após um grave tropeço que nos produz uma grande dor no tornozelo, a prova de se está quebrado ou não é dada pelo fato de se podemos apoiar o pé no chão ou não. Segundo este mito urbano, se podemos apoiar o pé e inclusive caminhar, definitivamente o tornozelo não está quebrado. Pois bem, esta afirmação não é correta. De fato, é possível apoiar o pé e inclusive caminhar, já que tanto o osso como o músculo podem funcionar como amortecedores, mas isso não significa que o tornozelo não esteja quebrado ou que seja recomendável caminhar em tais circunstâncias. O mais prudente é imobilizar o pé e não apoiá-lo até visitar o traumatologista.

Outro mito muito estendido na nossa sociedade tem mais a ver com a forma de falar ou de denominar aquelas coisas que não conhecemos muito bem. O médico não pode arrumar a quebra do osso num dedo do pé nem em nenhum outro osso do corpo. De qualquer forma, a ação de um cirurgião ganha sentido quando o osso quebrado não está alinhado e é necessária uma intervenção para colocar o segmento deslocado no seu lugar e, uni-lo ao outro para, desse modo, facilitar ao organismo a reparação dessa ruptura; reparação que, não vamos nos esquecer, o nosso próprio corpo realiza de forma natural.

Outro grande mito é que determinados tipos de sapatos, também podem produzir joanetes, o que é totalmente falso. Embora um calçado estreito demais possa acentuar a dor causada pela joanete, a origem desta incômoda inflamação tem que ser buscada em maus hábitos de postura – a chamada postura do pato, com os pés em ângulo.

Todos estes exemplos são apenas alguns de uma longa lista de crenças falsas em torno aos pés, como a que garante que os calos têm raízes. De qualquer forma, no que diz respeito aos pés, o melhor é consultar sempre o médico e não se deixar levar pela cultura da rua.


Nenhum comentário

Você pode comentar no Facebook e no Google +, ou se preferir fazê-lo de forma anônima no nosso sistema de comentários

Comente no Facebook
Comente na Innatia

Escreva seu comentário sobre "O cuidado dos pés: realidade e mitos"

Comente no Google+