Tudo o que você precisa saber sobre o intestino permeável

Intestino permeável: um problema digestivo que pode atacar qualquer um

Quer aprender mais sobre o intestino permeável? Ninguém melhor que a naturopata Elena González para que ela te conte mais sobre o assunto, que vem investigando já há algum tempo. Uma entrevista imperdível sobre este problema digestivo!

Às vezes, para falar de certos assuntos, nada melhor do que consultar um especialista. E muito mais se falamos de um problema digestivo, como a permeabilidade intestinal aumentada. Este problema, muito mais conhecido como intestino permeável, costuma gerar diversos problemas. Mas ninguém melhor que a naturopata Elena González (responsável do ótimo site em espanhol Indigo Hierbas // http://indigohierbas.es/) para que te comentar tudo sobre estas questões.

Elena há muitíssimo tempo que vem se formando na área do intestino hiperpermeável. E por essa razão, vai te contar tudo o que você precisa saber sobre o assunto. Não perca esta entrevista!

Intestino permeável: o que significa, como se trata e muito mais

- Conte-nos... Como chegou à naturopatia?

- Sou descendente de galegos, não é raro solucionar os problemas de saúde com ervas daí. De alguma maneira devi trazer no sangue, porque sempre estava preparando estranhas poções para dar aos meus pulsos com as ervas que encontrava no campo.

Quando foi preciso decidir o que estudar, estava claro para mim que o que não queria era estudar medicina, que só trata os sintomas, e o ser humano é bem mais que isso. E enquanto decidia o que fazer com este problema, a vida, como sempre, te coloca no seu lugar, e por circunstâncias familiares tive que estudar algo que me ajudasse a administrar a empresa familiar e estar no seu comando, mas pelas noites e enquanto isso podia estudar Naturopatia.

Mais tarde tive uma filha, que, por um erro médico quase morre e foi o momento em que a vida me disse: “Vamos, exerça como naturopata” e eu fiz isso e então aqui estou.

- E como é que você se especializou em intestino permeável?

- Para a Naturopatia não é um segredo que a saúde está e se inicia no intestino, de fato somos mais bactérias do que células e já estão começando a considerar que o nosso DNA pudesse estar determinado por nossas bactérias intestinais.

Quando eu comecei estudando, só alguns poucos falavam do estômago como segundo cérebro e só nos Estados Unidos se começava a contemplar a síndrome do intestino permeável, mas se paramos para pensar nas chamadas “novas alergias” e doenças autoimunes, todas têm em comum diferentes problemas intestinais, de forma que nesse momento eu achava a teoria mais aceitável para mim, ao contrário do que a explicação médica da autoimunidade. Minha mente não aceita bem que uma máquina perfeita como o corpo humano um certo dia se levante e sem delongas decida atacar seu próprio cérebro, como na esclerose ou no autismo, seu cólon ou qualquer órgão que decida arbitrariamente, isso não faz sentido.

Mas para mim ganhava lógica a possibilidade de que algo estivesse confundindo para agir assim e agora, apenas 8 anos depois, está sendo demonstrado e cada dia é uma corrente mais fuerte, a teoria do intestino permeável.

- Para quem não sabe... O que é sofrer de "intestino permeável"?

- Tentarei explicar de uma maneira que seja fácil de entender. As paredes do nosso intestino têm uma certa permeabilidade para permitir que os nutrientes resultantes de digerir os alimentos se incorporem no organismo para sua correta nutrição.

Quando isso acontece assim, tudo funciona bem. Mas às vezes, esta permeabilidade da parede intestinal é aumentada devido a algum tipo de lesão, por estresse, excesso de medicamentos, antibióticos, excesso de bactérias ruins ou parasitas; permitindo assim que as proteínas (como o glúten), as bactérias ruins e partículas de comida não digeridas passem para a corrente sanguínea.

Este transtorno afeta o intestino delgado, que é de vital importância devido a que a maioria das vitaminas e minerais que consumimos se absorvem nesse órgão.

Quando existe o que chamamos intestino permeável, os poros, que em circunstâncias normais serviriam para uma correta nutrição, estão dilatados e é quando as partículas de alimentos sem digerir, bactérias, vírus e parasitas entran por eles na corrente sanguínea causando inflamação e todo tipo de intolerâncias alimentares e respostas autoimunes. Em muitas ocasiões, o corpo começará a reconhecer certos alimentos como tóxicos e provocará uma reação imune cada vez que consumir esse alimento. Se o problema persistir, se torna uma doença autoimune.

Alguns dos sintomas iniciais de intestino permeável podem incluir alergias aos alimentos, problemas da pele como a acne e eczema, problemas digestivos como inchaço, gases e síndrome do intestino irritável.

- Este problema pode ser resolvido através do uso de remédios naturais como suplemento?

- Sim, não é fácil, devido ao tamanho do órgão a tratar e a que costuma vir junto com uma candidíase intestinal ou um anormal crescimento bacteriano ou as duas juntas, mas termina se resolvendo.

O plano de ação no caso de um intestino permeável passa por reparar a parede intestinal, equilibrar o interior do intestino, ou seja, desverminar e reduzir as bactérias ruins e repovoar com as chamadas bactérias boas ou probióticos e solucionar os danos que talvez tenham causado as substâncias que escaparam no interior do corpo.

Para isso, por um lado é preciso eliminar metais pesados, limpar o fígado e alcalinizar o ph do corpo, e solucionar os possíveis danos nos tecidos, para arrumar os desastres que talvez tenham causado as “fugas”.

Por outro, desverminar o intestino e trabalhar para que a permeabilidade da parede se feche e enquanto isso fazer um trabalho intensivo de repovoamento de probióticos e repor todos os nutrientes que a falta de flora boa impediu nosso corpo de sintetizar, como a Vitamina K ou a B12, entre outras.

- E a alimentação, que papel tem neste problema?

- A alimentação é muito importante, de fato na consulta a primeira coisa que fazemos é colocar em prática uma dieta reeducadora, ou seja, você aprende a comer e o porquê e sozinho vai renunciando àquilo que te faz mal.

Há alimentos que são específicos para dar ordem de abertura à parede intestinal, por exemplo, o leite leva uma substância parecida à morfina para que o cachorro durma depois de comer e não incomode mais a mãe e também leva outra substância que dá ordem à parede intestinal de se abrir ao máximo para que o cachorro aproveite os nutrientes em 100% porque no caso das vacas o terneiro tem que triplicar seu peso muito mais rápido que o cachorro humano.

Com o glúten, acontece algo similar, contém uma substância chamada zonulina, que abre a parede intestinal e muitos parasitas contêm esta substância e é na forma que entram à nossa corrente sanguínea.

Foi descoberto há pouco tempo que a SACARINA desequilibra a microbiota intestinal gerando resistência à insulina em apenas 6 semanas do seu consumo contínuo. Sabe-se que a frutose sobrecarrega o fígado gerando o chamado fígado gordo que também é outro fator para a síndrome metabólica e contribui para o intestino permeável ao não poder liberar, porque a gordura tampa os condutos biliares, a quantidade de bílis necessária para uma correta digestão.

Também há alimentos que ajudam a regenerar a parede intestinal, como o caldo de ossos das nossas avós que está altamente carregado de gelatinas que ajudam a repará-la, comer bananas verdes ou arroz branco cozido que previamente deixamos esfriar e não lavamos para que o amido resistente possa ser criado e assim que for ingerido ajude a alimentar as bactérias protetoras da barreira intestinal.

Consumir alimentos fermentados como o chucrute ou kefir nos fornece as bactérias que alimentam a barreira intestinal.

E aprender a comer de forma que o açúcar não seja um problema para nossa digestão, por exemplo não tomando fruta depois de uma refeição copiosa à base de hidratos ou carne vermelha já que facilitará uma fermentação putrefativa alta em açúcares que pode desequilibrar o ph do nosso intestino favorecendo que as bactérias boas morram e as más acampem aí.

- Algo mais que queira adicionar.

- Lembrar a importância de saber administrar nossos níveis de estresse e nossas emoções para este problema de saúde e qualquer outro.

Não me canso de contar sempre a mesma história, o estresse é uma resposta do nosso organismo para salvar nossa vida em situações limite, por exemplo, ser devorado por um urso ou evitar um acidente de carro, nesse momento o cérebro dá a ordem ao corpo de não digerir os alimentos, não reparar os tecidos, parar todo nosso metabolismo, porque toda a energia é necessária para enfrentar o urso ou esquivar o caminhão que vem de frente.

Se nós, por problemas que acrescentamos na nossa cabeça e que repetimos sem cessar fazendo que o urso seja enorme e esteja todas as horas na nossa frente, arrebentamos literalmente nossas glândulas suprarrenais, é o que se conhece como infarto ou fadiga suprarrenal, imunossuprimimos nosso sistema imune e ralentizamos nossa digestão facilitando as fermentações putrefativas, que alteram nosso ph intestinal, que sobrecarregam nosso fígado e que podem dar vez a um desequilíbrio da flora bacteriana que poderia nos levar a um supercrescimento bacteriano e uma abertura da parede intestinal.

No caso de que o desequilíbrio já se tenha produzido, esses mesmos níveis de estresse poderiam ralentizar a recuperação, porque para o corpo é mais importante escapar do caminhão ou do urso, que reparar nossos tecidos e tudo isso é feito pela nossa cabeça.

Por isso, parte da nossa terapia, além da dieta, são os suplementos naturais, certas mudanças de hábito, como o esporte ou respirar ao ar livre e o sol (a Vitamina D é importantíssima para a barreira intestinal); se trata de aprender a lidar com o estresse, as situações que já se viveram e não podemos mudar só fazem que continuem estragando nosso sistema se não sabemos soltá-las.

Uma vez mais, o que adoro da Naturopatia é que trata a pessoa na sua totalidade, o que come, como come e como pensa quando come. Parafraseando Hipócrates, pai de todas as medicinas, “que seu alimento seja sua medicina” e como o come seja sua terapia.

Outros problemas digestivos relacionados

  • Cólon irritável. Outro dos problemas similares ao intestino permeável é o cólon irritável. Descubra quais são as complicações mais frequentes que tem.
  • Estômago inflamado. A inflamação do estômago costuma acontecer por uma alimentação deficiente. Continue uma dieta indicada e a eliminará rapidamente.
  • Gastrite aguda. Comer bem é uma das questões mais importantes na hora de combater a gastrite. Por isso mesmo, não perca de vista estes conselhos.

Você sofre de intestino permeável?

Sim

3/0

Não

1/0

Às vezes

Como você o combate?




Nenhum comentário

Você pode comentar no Facebook e no Google +, ou se preferir fazê-lo de forma anônima no nosso sistema de comentários

Comente no Facebook
Comente na Innatia

Escreva seu comentário sobre "Tudo o que você precisa saber sobre o intestino permeável"

Comente no Google+