Cuide do seu fígado no Natal

Plantas que ajudam na digestão das gorduras

Quando o fígado funciona mal, repercute em todo o organismo, já que não se eliminam substâncias estranhas ou tóxicas como o álcool, medicamentos...

NO NATAL CUIDE DO SEU FÍGADO

O fígado é o grande laboratório do corpo humano. Milhões de reações químicas têm lugar nele cada dia. É a maior víscera do corpo. Seu peso - ao redor de 1,5 kg - fala da sua importância para manter o metabolismo equilibrado.

Situa-se na parte superior direita da cavidade abdominal. Com forma de cunha, as funções básicas do fígado são três: transformação de uns princípios nutritivos em outros - açúcares, proteínas, gordura, etc. - a produção da bílis - necessária para a digestão das gorduras - e a desintoxicação do sangue neutralizando e eliminando as numerosas substâncias estranhas ou tóxicas que possa conter - como medicamentos, álcool, etc. É por esse motivo que seu mau funcionamento repercute em todo o organismo.

Quando isso acontece, como é o caso destes dias com as festas de Natal, além de cuidar da dieta, abusando o menos possível do marisco, álcool, etc. podemos nos ajudar em plano preventivo ou para solucionar problemas de pouca envergadura com algumas plantas medicinais.

Podemos diferenciar dois tipos de plantas. Por um lado estão as coleréticas e colagogas. As primeiras estimulam a formação de bílis no fígado, o descongestionam e favorecem a digestão. As segundas facilitam o deslocamento da bílis da vesícula ao duodeno, melhorando o correto funcionamento do sistema biliar. Utilizam-se em caso de discinésia biliar - vesícula preguiçosa-, dispepsias biliares e colelitíase - cálculos ou pedras na vesícula.

Outro grupo de plantas são as protetoras, usadas quando existe lesão ou insuficiência hepática. Protegem o fígado da ação destruidora de elementos tóxicos. Costumam ser utilizadas para suprimir a formação e absorção de substâncias tóxicas.

CARDO MARIANO

Popularmente conhecido como cardo-leiteiro. Sua principal qualidade é a sua capacidade para regenerar as células hepáticas.

A Silimarina é o seu principal componente. Os resultados de numerosos estudos indicam que esta substância, presente nas sementes, atua como um potente antioxidante nas células hepáticas. Protege estas dos danos causados pelos radicais livres. E aumenta a sua capacidade para se regenerar através da produção de novas células saudáveis - estimula a síntese de proteína. Melhora a capacidade da glândula para eliminar toxinas.

É de utilidade na terapia da cirrose, hepatite crônica, ou degeneração gordurosa do fígado. Sua falta de toxicidade faz que se possa utilizar durante longo tempo. A melhor forma de utilizá-la é tomando cápsulas ou comprimidos de extrato seco, junto com a planta micronizada. Vários laboratórios a têm embalada desta forma.

Vejamos o que diz Salvador Cañigueral, presidente da Sociedade Espanhola de Fitoterapia - Sefit - e professor de Farmacologia e Farmacognosia da Universidade de Barcelona: "A eficácia terapêutica da Silimarina se baseia em dois mecanismos de ação: por um lado modifica a estrutura celular externa dos hepatócitos, impedindo a penetração dos agentes tóxicos dentro das células hepáticas. Além disso consegue que aumente a síntese proteica, o que favorece os processos de regeneração. Por este motivo se recomenda seu uso como coadjuvante na terapia de inflamações hepáticas crônicas e cirrose, assim como em danos hepáticos de origem tóxica.

ALCACHOFRA

Clássica para a terapia de disfunções hepatobiliares e digestivas. Seus princípios ativos, concentrados sobretudo nas folhas, são a cinarina - princípio amargo - e alguns flavonoides derivados da luteína.

Investigações realizadas nos últimos anos demonstraram que em doses adequadas a alcachofra é capaz de diminuir os níveis plasmáticos de lipídios e de exercer um importante efeito hepato-protetor, provavelmente devido às suas propriedades antioxidantes. Esta ação é devida à ação captadora dos radicais livres que produzem a oxidação celular.

As folhas de Boldo se utilizam em caso de disfunções hepato-biliares. Quando existem pedras na vesícula aliviam os incômodos digestivos e a sensação de distensão depois das comidas típicas do Natal. Não se deve confundir: o Boldo não é capaz de desfazer os cálculos biliares nem de provocar sua expulsão. Foi comprovado que produz mudanças na composição química e nas propriedades físicas da bílis. Desse modo a faz mais fluída e com menor tendência à formação de pedras. Impede que a bílis se precipite e se formem novos cálculos ou aumente o tamanho dos que já existem. Está contra-indicado em caso de obstrução das vias biliares.

DENTE DE LEÃO

Esta planta, tão comum nos campos espanhóis, tem propriedades muito benéficas tanto para o fígado como para a vesícula.

É um excelente depurativo. Drenador hepato-renal. É utilizada a raiz. Tem efeito colerético bem comprovado em experimentos com animais que demonstram o aumento da secreção da bílis até chegar a triplicá-la. Descongestiona assim o fígado e facilita sua função de desintoxicação. Funciona muito bem em casos de discinésia - vesícula pregiçosa - e outros transtornos do seu funcionamento.

Com estas três plantas temos recursos suficientes para normalizar as funções hepáticas e da vesícula alteradas pelos possíveis abusos dessas festas.

Outro recurso interessante é a NUX VOMICA, do âmbito da homeopatia. Vem muito bem tomar alguns grânulos antes dos abusos de comida ou de álcool. Por exemplo na diluição 9CH. Deixam-se embaixo da língua, chupando lentamente até que se dissolvam. O mesmo remédio se pode utilizar após as farras.

A cebola e o limão podem nos dar bons serviços utilizados adequadamente. Pode-se preparar um caldo vegetal fervendo quatro ou cinco cebolas em uma panela de pressão com dois litros de água durante sete minutos. Coa-se e se guarda na geladeira. Toma-se morno com o sumo de um ou meio limão antes das comidas principais.

Depois das festas natalinas também pode-se tomar a decisão de estar um ou dois dias só na base da fruta. Por exemplo abacaxi natural maduro. Não se passa fome e é um excelente depurativo.

Com o convite a não se exceder nesses dias aproveite a ocasião para felicitar as festas.

Mais plantas e remédios caseiros para o fígado.


Nenhum comentário

Você pode comentar no Facebook e no Google +, ou se preferir fazê-lo de forma anônima no nosso sistema de comentários

Comente no Facebook
Comente na Innatia

Escreva seu comentário sobre "Cuide do seu fígado no Natal"

Comente no Google+