Tipos de insulinas para diabéticos dependentes

Classificação de insulinas para diabetes tipo I

A descoberta da insulina para os diabéticos dependentes foi um achado médico que salvou a via de milhões de pessoas e evitou as complicações do diabetes. Por isso, é importante saber quais são os tipos de insulinas para o diabetes tipo I e qual é o modo de ação e as características deles.

Os diabéticos tipo I são aquelas pessoas que precisam de insulina para viver, já que seu pâncreas não sintetiza ou fabrica insulina. Esta situação afeta principalmente os jovens, já que se considera uma doença de índole hereditária ou genética.

Estes pacientes precisam receber insulina exógena. Para cobrir esta necessidade se desenvolveram diversos tipos de insulina para diabéticos, os quais se adequam a cada pessoa e a cada necessidade.

Tipos de insulinas para diabetes insulinodependente

Podem ser classificadas de acordo com:

  • Sua velocidade de ação.
  • Sua origem.
  • Sua pureza.

Por sua velocidade de ação

  • Insulina de ação rápida
    • Denominada insulina simples, cristalina ou regular.
    • É a mais utilizada em casos de emergência já que sua resposta começa depois de meia hora de ser aplicada.
    • É de ação rápida e breve.
  • Insulina Intermédia
    • É a mais utilizada.
    • Há três: NPH, semilenta e lenta.
    • Inicia sua ação duas horas depois de ser aplicada, seu efeito máximo se registra de 8 a 12 horas depois de aplicada e sua atividade vai de 18 a 24 hs.
  • Ação prolongada
    • As mais importantes são: insulina protamina zinco e insulina ultralenta.
    • Começa a agir 6 horas depois de ser administradas, seu efeito máximo se produz 14 horas depois aproximadamente e seu efeito se prolonga de 24 a 72 horas.

Por sua origem

  • Insulina bovina: Seu uso é generalizado, difere da insulina humana na sua composição de aminoácidos (tres deles). Estas diferenças seriam as responsáveis de desencadear uma reação alérgica à insulina bovina.
  • Insulina porcina: Esta se assemelha mais à insulina humana já que só difere em um aminoácido. Esta insulina, da mesma forma, pode produzir alergias, embora seja menos comum.
  • Insulina humana: É a insulinoterapia ideal, sem anticorpos. Há dois tipos diferentes: semi-sintética e sintética. Embora possa produzir alergias, a produz em menor medida.

Por seu grau de pureza

  • Insulina monopico
  • Insulina monocomponente: resulta de duas purificações diferentes.

Seu grau de pureza é importante porque dela dependerá se tem maior resposta alérgica.

Esta classificação de insulina para diabetes tipo I é muito importante de levar em conta já que através dela é possível conhecer que tipos de insulina são os maios adequados para cada pessoa e cada momento, para evitar as complicações da falta de insulina.

Lembre-se que o controle habitual da sua glicemia ajuda a conhecer como a insulina está agindo no seu organismo.


IMPORTANTE: A missão do "Tipos de insulinas para diabéticos dependentes" é te ajudar a estar informado. NUNCA substitua a consulta médica.

Nenhum comentário

Você pode comentar no Facebook e no Google +, ou se preferir fazê-lo de forma anônima no nosso sistema de comentários

Comente no Facebook
Comente na Innatia

Escreva seu comentário sobre "Tipos de insulinas para diabéticos dependentes"

Comente no Google+