O que é o metilparabeno sódico e para que serve o propilparabeno

Os parabenos na cosmética

O metilparabeno e o propilparabeno são dois dos componentes mais comuns em cremes, maquiagens e outros produtos cosméticos. Descubra que função cumprem estes parabenos e se são inofensivos ou prejudiciais para a sua saúde.

Recentemente apareceu na televisão uma campanha publicitária de uma empresa de cosmética anunciando sua nova linha de produtos sem parabenos. Diante disso surgiram as típicas perguntas: o que são os parabenos? Para que e por que se utilizam? Têm algum tipo de efeito nocivo? Por que algumas marcas de cosméticos os retiram da fórmula dos seus produtos?

O que são os parabenos?

Documentando-se um pouco, vemos que são compostos utilizados tanto pela indústria cosmética como pela alimentar. Os principais usos dos parabenos se desprendem de que são um econômico e eficaz conservante, utilizados em inúmeras formulações, por suas propriedades fungicidas e bactericidas.

Esta propriedade como conservante, descoberta já em 1924, é especialmente útil ao ser eficazes em meios neutros, diferente de outros conservantes, que são apenas eficazes em meios ácidos. Como inconveniente comercial, os parabenos dão certa cor e cheiro aos produtos. Portanto já conhecemos o porquê e para quê. É barato e eficaz como conservante, algo imprescindível para toda a indústria, que precisa que os produtos não estraguem durante um longo período de tempo e sejam econômicos.

Os parabenos são perigosos?

Não há nenhum estudo que determine que em doses permitidas os parabenos sejam uma causa de efeito prejudicial grave (também não existe para o cigarro!) além das pessoas sensíveis aos parabenos, às quais podem produzir dermatites graves ou vermelhidão, inflamação, comichão e dor da pele.

Segundo estudos, estes compostos, ao ser ingeridos, se absorvem rapidamente no intestino, eliminando-se também rapidamente na urina, sem que se acumulem no organismo. Então, por que há empresas que o anunciam como uma melhora nos seus produtos dispensar estes compostos?

Os compostos autorizados utilizados pela indústria passam por testes toxicológicos, que indicam as doses máximas que se podem utilizar sem prejudicar a saúde para a média das pessoas a curto prazo. Destaco a média das pessoas e a curto prazo. Mas surge a pergunta de se é tão amplamente utilizado, em que quantidade estamos expostos? Acho difícil regular a intoxicação por um composto que é utilizado em muitos produtos de uso contínuo e cotidiano como os cosméticos e a alimentação.

Quantidades e tipos de parabenos permitidos

É verdade que alguns destes elementos, como o Propyl-hydroxybenzoate, propylparaben (ou Propilparabeno) e paraben (F216), usados como conservante nos cereais, salgadinhos, produtos de carne e confeitaria, foram identificados como causa da dermatite crônica em vários casos. Há opiniões para tudo, mas é verdade que deste como de outros compostos químicos de síntese, é muito difícil demonstrar que sejam as causas de outras doenças mais graves como o câncer de mama, doença com a qual se relacionaram em alguns casos.

Os estudos nunca são concludentes pelas inúmeras variáveis que impedem certificar com certeza sua toxicidade ou sua inocuidade. Não há interesse nisso, não só pelo investimento na investigação que seria necessária, mas imagine fazer um estudo a longo prazo para demonstrar que um composto novo é inócuo, e poder depois comercializar o produto. A economia não vai nesse ritmo. Vai ser usado e se por um acaso forem muito espetaculares seus efeitos tóxicos, se gerará uma campanha de consumidores alarmados que vão querer retirá-lo do mercado, seja porque entrem em ação os organismos de controle ou porque o medo tenha crescido tanto que o produto não é vendido, que mudarão a composição dos seus produtos.

Mas é esse o caso dos parabenos? No momento os estudos não confirmam consequências graves e a indústria começa a retirá-lo... pura lógica de mercado... nesta sociedade onde o medo se utiliza para tudo, o medo do consumidor pode fazer aumentar suas vendas... Ou é que essa empresa que acaba de retirá-los descobriu que são nocivos, e portanto quer oferecer uma gama livre desses prejudiciais químicos?

De forma alguma vamos defender que os parabenos são inócuos, simplesmente com o que foi demonstrado como causa além das alergias e dermatites eu já acho suficiente para experimentar em mim mesmo se estarei dentro desse grupo de população sensível. E isso sem ter conhecimento dos efeitos a médio e longo prazo, que são impossíveis de demonstrar. Mas todas essas perguntas sem resposta são as que podem fazer um consumidor escolher um produto sem parabenos por outro que tem.

Riscos do metilparabeno e do propilparabeno

Embora, como já comentamos, não existam provas científicas de que os parabenos sejam prejudiciais, isso não quer dizer que sejam inofensivos. Se você tem interesse em saber por que muitas marcas de cosméticos garantem que seus produtos são melhores por não incluí-los, leve em conta que riscos se atribuem a eles, especialmente ao metilparabeno e ao propilparabeno, dois dos mais comuns em cosméticos e alimentos.

  • Alergias
  • Transtornos hormonais
  • Câncer de mama e útero
  • Irritação da pele e olhos
  • Broncoespasmo

Componentes benéficos nos produtos de beleza

Se te interessa ter controle sobre os ingredientes dos seus cremes e outros produtos de beleza, aqui você pode consultar quais são os benefícios de alguns componentes que as marcas de cosméticos costumam utilizar.

  • Ácido hialurônico. É um poderoso hidratante para a pele, que também contribui para a reestruturação da derme. Por isso, é muito comum encontrá-lo em cremes hidratantes ou tratamentos anti-age. Pode-se utilizá-lo seja qual for o tipo de pele que você tenha, porque só fornece hidratação e não é irritante.
  • Coenzima Q10. É um antioxidante liposolúvel que protege seu corpo dos radicais livres e, devido a isso, previne o envelhecimento prematuro. Se você tem problemas de flacidez ou já estão aparecendo as primeiras rugas, um creme com q10 pode ser muito benéfico para conservar sua pele tersa.
  • Vitamina C. É um antioxidante natural que também funciona como cicatrizante e hidratante. Se você sente que sua pele está apagada ou opaca, a vitamina C te ajudará a recuperar a luminosidade. Além disso protegerá sua pele do sol e retardará o envelhecimento celular.
  • Vitamina E. Este é outro componente antioxidante e regenerador da pele, por isso é muito comum em cremes e produtos de tratamento anti-rugas. Se você precisa se recuperar das cicatrizes de acne ou de outro tipo, um creme com vitamina E te ajudará a regenerar a pele e ao mesmo tempo a protegerá das toxinas.

Você utiliza cosméticos com parabenos?

Gráfico da enquete: Você utiliza cosméticos com parabenos?

Sim

104

Não

20

Não sei

20





Nenhum comentário

Você pode comentar no Facebook e no Google +, ou se preferir fazê-lo de forma anônima no nosso sistema de comentários

Comente no Facebook
Comente na Innatia

Escreva seu comentário sobre "O que é o metilparabeno sódico e para que serve o propilparabeno"

Comente no Google+