Chá verde e saúde

O chá verde contém compostos antioxidantes

O chá verde contém compostos antioxidantes que são muito beneficiosos para lutar contra determinados tipos de cancro na redução dos efeitos próprios do envelhecimento.

GUIA DESTE ARTIGO.
Com esta guia, pode aceder diretamente às partes deste artigo que mais lhe interessem:

E se quer aprofundar mais sobre o seu uso, propriedades e aplicações, navegue pelas seguintes secções:

  • Propriedades do chá verde: grande quantidade de artigos sobre as suas propriedades e benefícios.
  • Notícias sobre o chá verde: as últimas novidades dos benefícios do chá verde
  • Receitas com chá: muitas receitas para tomar o chá.
  • Variedades: o chá verde é um mundo. Existem muitas variedades.Tem dúvidas sobre alguma?. Navegue pela secção enlaçada e resolva-las.

Um pouco de história do chá...

Usado na China desde o ano 3000 a.C.: A história do chá remonta-se nada menos que a três milênios antes de Cristo, quando os chineses se instalam na zona do rio Amarelo e começam a praticar a agricultura. Pois em aqueles tempos emprega-se com fins medicinais, não só pelas suas propriedades estimulantes, senão porque ajuda a prevenir e melhorar numerosas dolências. Dentro da medicina tradicional chinesa, usa-se para aliviar as dores de cabeça, eliminar toxinas e para prolongar a juventude.

No século XVII chega à Europa: A pesar desses remotos antecedentes, não é até ao século XVII, que o consumo de chá estende-se à Europa, convertendo-se numa bebida popular, tal como é conhecida na atualidade.

Segunda metade do século XX: Embora que o chá se bebe desde milhares de anos, as investigações científicas para documentar os potenciais benefícios para a saúde desta antiga bebida, não tiveram lugar até às últimas décadas.

Como resultado destes estudos comprovou-se que o chá contém altos níveis de polifenois, substâncias que possuem propriedades antioxidantes, anticancerosas e incluso antibióticas. Além disso, demonstrou-se que o chá podia ajudar a prevenir enfermidades cardíacas e do fígado.

Na atualidade: O chá constitui a segunda bebida mais consumida no mundo, só atrás da água. Um grupo, cada vez maior, de estudos clínicos levados a cabo tanto no homem como em animais em experimentação, sugerem que o consumo regular de chá pode reduzir a incidência duma variedade de cancros, incluindo o de cólon, pâncreas e estômago.

Se está interessado na história do chá, siga o link anterior que lhe levará a uma secção, onde poderá conhecer as alternativas dos seus 5.000 anos de história.

Estudo botânico do chá

O chá, cujo nome científico é Camelia Sinensis, pertence à família Theaceae. É uma pequena arvore perene, que pode chegar a medir de 5 a 10 metros de altura em estado selvagem, mesmo quando se cultiva não acostuma ultrapassar os 2 metros de altura.

O chá é uma das plantas mais conhecidas do mundo, de fato, o seu cultivo está amplamente estendido por todas as zonas tropicais do planeta. Mesmo originário do sul este asiático, desde a Índia e Sri Lanka até China ou Japão, o chá cresce de maneira extensa nas regiões tropicais e subtropicais. Nas proximidades ao equador terrestre, pode encontrar-se até uma altitude de quase 2.000 metros.

Tanto o chá preto, como o chá verde procedem da mesma planta. Dependendo do processamento ao que se submetem as suas folhas, obtém-se um ou outro, conforme a se foram fermentadas ou não. Enquanto o chá verde é estabilizado com vapor de água e secado, para evitar que fermente, o chá preto prepara-se deixando murchar as folhas, que depois são enroladas, deixam-se fermentar e secam-se. Dado que o chá verde está menos processado que o chá preto, contém mais quantidade de antioxidantes e por isso, é o mais potente dos dois.

Descrição da planta do chá

  • Folhas do chá: as folhas do chá são lanceoladas e agudas de cor verde-escuro, dispõem-se alternas e medem geralmente entre 5 e 10 cm de longo por 2 a 4 cm de largo. Estas folhas são dentadas nas suas 2/3 partes superiores. As folhas são a parte da planta de chá verde empregada com fins terapêuticos.
  • Flores do chá: O chá tem umas flores delicadas de cor branca creme ou rosado, que desprendem um agradável aroma. As flores de chá são pequenas e estão dispostas de forma solitária ou em grupos de 2 ou 3 flores. Cada flor consta de 5 sépalas ovais e entre 6 a 9 pétalas.
  • Fruto do chá: O fruto do chá é uma pequena cápsula redondeada, em cujo interior localizam-se as sementes.

Condições de cultivo e colheita do chá

Dependendo do lugar de origem do chá, as condições climáticas variam e por essa razão existem diferentes variedades de chá verde, cada uma com as suas características particulares em quanto ao aroma, sabor e cor da infusão preparada. Em qualquer caso, para que o crescimento do chá seja ótimo requere das seguintes condições de cultivo:

  • Tipo de chão: O cultivo de chá precisa chãos bem drenados, ricos em matéria orgânica e com um pH ligeiramente ácido.
  • Temperatura: O chá precisa de sol e uma temperatura idônea que oscile entre 14 e 27ºC, pois mesmo sendo uma arvore de folha perene, não tolera bem o gelo.
  • Irrigação: A planta do chá requer abundante água para evitar que seque, pois as raízes são muito finas e sensíveis à falta de umidade. Quando se encontra em pleno florescimento, precisa duma irrigação ainda mais abundante.
  • Colheita: A colheita de chá tem lugar quando a planta atinge uma idade de 3 anos e acostuma a repetir três vezes ao ano. São escolhidos os brotos jovens que estão formados por 5 a 6 folhas colocadas à volta duma gema terminal fechada.

Estudo químico do chá

Os principais princípios ativos que entram na composição do chá são os seguintes:

  • Água e sais minerais: as folhas contêm entre um 5 e um 6% de água e entre um 4 e um 7% de sais minerais, em especial potássio e magnésio.
  • Ácidos orgânicos: Outros compostos minoritários que também podem encontrar-se no o chá são ácidos orgânicos como málico, sucinico, oxálico e galoquinico, incluso uma pequena percentagem de lipídios.
  • Compostos glucídios: O chá contém inositol, açúcares redutores, gomas e pectinas.
  • Polifenóis: O chá destaca pelo seu conteúdo em compostos polifenólicos (3%) que são os responsáveis da sua atividade terapêutica e do seu poder antioxidante. Os polifenóis reduzem com a idade da planta e com a época de colheita, para plantas da mesma idade, é menor em primavera e maior em agosto e setembro. Entre outros benefícios, os polifenóis do chá são bons para o cérebro, retrasando a aparição de enfermidades degenerativas como o Alzheimer.

Os polifenóis do chá são de três tipos: flavonóides, catequinas ou catecóis e taninos:

  1. Flavonóides: Entre os flavonóides do chá, os mais importantes são o kemferol, quercetol (quercitina) e miricetol. Além de aportar propriedades antioxidantes, os flavonóides do chá protegem de enfermidades cardiovasculares.
  2. Catequinas: os catecóis ou catequinas são mais abundantes no chá verde, que no o chá preto e na planta fresca. Os mais ativos são a catequina, epicatequina e os seus ésteres com ácido gálico. As catequinas do chá são as responsáveis dos seus efeitos anticancerosos.
  3. Taninos: O chá também contém taninos catéquicos condensados (8-25%). Os taninos relacionam-se com as propriedades adstringentes do chá, úteis tanto para tratar a diarréia, como para, por exemplo, cicatrizar feridas. Aliás, dado que interferem na absorção do ferro, em ocasiões podem agravar quadros de anemia.
  • Óleo essencial do chá: Tem uma pequena quantidade de óleo essencial (0.007-0.014% nas folhas frescas), menor que a do chá preto, pois é formado durante o processo de fermentação das folhas. O óleo essencial do chá contém hexenol, e pequenas quantidades de aldeídos, butiraldeído e isobuteraldeído, assim como álcoois fenólicos, geraniol, linalol e citral.
  • Alcaloides: os alcaloides do chá (2-4%) tal vez sejam os componentes mais conhecidos. Trata-se de derivados da purina, conhecidos mais comumente como 'bases xantanas', as mais abundantes são a cafeína e a teofilina. Na planta fresca, a cafeína encontra-se combinada com os ácidos orgânicos formando um composto conhecido como 'tanoide'. Por tal razão, o chá preto tem uma ação mais estimulante sobre o sistema nervoso, que o chá verde, posto que durante o processo de fermentação parte este tanoide deixando livre a cafeína.
  • Vitaminas e enzimas: Por último, o chá contém além disso, vitaminas e enzimas.

Ação farmacológica e interações do chá verde

A variada composição do chá será responsável dos seguintes efeitos terapêuticos:

  • Elimina os radicais livres do organismo: É um potente antioxidante graças às catequinas que contém. Alguns estudos demonstram que os seus polifenóis são incluso mais efetivos que a vitamina C ou E. Tal é assim, que podes beneficiar-te com uma dieta antioxidante, na que poderás incluir apetitosas receitas com chá verde e que, além disso, pode-te ajudar a perder peso. Por outro lado, se incorporas à dieta um batido de chá verde e frutas, aproveitarás no máximo, o poder antioxidante deste chá.
  • É anticanceroso: Alguns estudos demonstraram que ajuda a prevenir diversos tipos de cancro. Por exemplo:
    • Reduz até um 46% o risco de padecer cancro de ovário.
    • Um estudo aponta que o seu extrato poderia prevenir o cancro cólon-retal.
    • Outra investigação anima ao seu consumo contra o cancro oral.
    • Por outro lado, o chá verde é um excelente protetor do fígado.
    • Além disso, um estudo japonês recomenda tomar 5 chávenas de chá verde ao dia para prevenir o cancro de próstata
  • É estimulante do sistema nervoso: Contém bases xantanas, em especial cafeína, que atuam como estimulante do sistema nervoso. Em particular, estimula os centros respiratórios e vasomotores que se encontram a nível do bulbo. De tal modo, o chá verde é um estimulante suave, idôneo contra o cansaço.
  • É um diurético natural: Possui ação diurética, estimulando a eliminação de toxinas do organismo, ao evitar a retenção de líquidos. Poderás aproveitar esta propriedade, se incluíres, por exemplo, um batido de chá verde e melão na tua dieta diária.
  • Tem ação bronco-dilatadora: Tal é assim, que pode compensar os sintomas dum ataque de asma. Além disso, pode prevenir a aparição de cancro de pulmão.
  • É um potente adstringente: Por esta propriedade pode ser empregado como antidiarréico, mas também em inumeráveis receitas de beleza, como este tônico facial limpador ou este champô caseiro para o cabelo oleoso.
  • É hipolipemiante: É capaz de reduzir os níveis de colesterol LDL e de triglicérides plasmáticos, ao tempo que eleva os níveis de colesterol HDL ou colesterol bom. Podes aproveitar as suas propriedades contra o colesterol mau, bebendo habitualmente uma infusão de chá verde. Além disso, pelas suas propriedades antioxidantes, adverte cardiopatias, pois ao evitar a oxidação do colesterol, tem um efeito anti-aterosclerótico.
  • Reduz a formação de trombos: Pelo seu conteúdo em vitamina P, possui uma eficácia similar à da aspirina para reduzir a formação anormal de coágulos sanguíneos, causantes de ataques cardíacos e anginas de peito. Tal é assim, que um estudo demonstrou que o consumo do seu extrato seria muito beneficioso para a saúde cardíaca.
  • Diminui os níveis de açúcar no sangue: Se bem é certo que não existem estudos concluintes que confirmem um efeito diretamente hipoglicemiante, sim em câmbio, existe uma investigação em relação aos efeitos que uma das suas catequinas teria sobre os sintomas da diabetes 1.
  • Tem uns ligeiros efeitos antibióticos, Atua frente a certas baterias como os estafilococos e alguns vírus, como também nos casos de HIV. Aliás, adverte a formação de cáries.

Interações do chá verde:

A cafeína do chá verde interatua com medicamentos do tipo IMAO (inibidores da mono-amino-oxidasa), Além, existem interações entre o chá verde e outras plantas medicinais, alimentos e suplementos alimentares, que podes verificar na tabela à que te conduz o link anterior. Em alguns casos será suficiente para evitar a interação, afastar o consumo de ambos produtos, em outros, é incompatível o seu consumo simultâneo.

Para que serve o chá verde

Diversas investigações demonstraram que o consumo do seu extrato protege contra as seguintes enfermidades degenerativas:

  • Prevenção do cancro: A capacidade do chá verde para prevenir o cancro foi objeto de inumeráveis estudos que sugerem que os seus componentes, em particular as catequinas, são os responsáveis das suas propriedades anticancerosas. Os resultados destes estudos apontam que tomar 3 chávenas de chá verde por dia, ajudam a proteger contra o cancro. Tal é assim, que se especula que o chá verde poderia ser o motivo da baixa taxa de cancro na Ásia.
  • Prevenção de enfermidades cardiovasculares: Não só evita a ateroscleroses, graças aos seus efeitos antioxidantes, senão que além disso, pelos seus efeitos antitrombóticos, melhora a circulação sanguínea, ambos fatores contribuem eficazmente a prevenção de muitas enfermidades cardiovasculares.

O chá verde também seria efetivo para prevenir ou aliviar as seguintes enfermidades comuns

  • Alivio do cansaço físico e mental: Graças ao seu suave efeito estimulante, pode empregar-se para aliviar tanto o cansaço físico como mental. Por outro lado, o consumo habitual de chá verde poderia combater o sentimento de angústia, nas pessoas que a padecem. Do mesmo modo, poderia ser efetivo, consumir chá verde contra o stress e para combater a depressão.
  • Alivio da diarréia: O seu conteúdo em taninos confere-lhe propriedades adstringentes, que podem deter as diarréias, de modo mais suave e sem tantos efeitos adversos como pode ocasionar o chá negro para a mesma aplicação, nas pessoas que a requeiram.

Aliás, o uso externo do chá verde possui as seguintes aplicações cosméticas:

  • Protetor da pele: Pelo seu conteúdo em polifenóis, aplicado diretamente, não só pode ajudar a prevenir o cancro de pele, senão que além, pode ajudar a bronzear-se e a proteger a pele contra o dano provocado pelo sol. De fato, alguma destas mascaras, pode ser a indicada para ti.
  • Normalizador do cabelo oleoso: Devido ao seu conteúdo em taninos, tem um efeito adstringente que normaliza os cabelos oleosos.

Contra-indicações e efeitos secundários do chá verde

Embora que o chá verde é uma bebida amplamente consumida e em general considera-se seguro, é preciso apontar algumas precauções a considerar, em geral relacionadas com o seu conteúdo em cafeína. Se bem o chá verde contém menor quantidade de cafeína que o chá preto ou o café, não está isento dos efeitos adversos que possa ocasionar em determinadas circunstâncias.

Por outro lado, comprovou-se que consumido em excesso, em qualquer uma das suas apresentações, pode ser tóxico, em especial para fígado e rins, pelo que se recomenda evitar o abuso.

Entre os efeitos secundários do chá verde apontam-se:

O chá verde apresenta, além disto, as seguintes contra-indicações:

  • Crianças: Devido ao seu conteúdo em cafeína, o consumo de chá verde nas crianças está contra-indicado, pois podem ocasionar insônia, nervosismo e irritabilidade.
  • Hipertensão arterial: Pois um dos efeitos da cafeína é aumentar a tensão arterial, o consumo excessivo de chá verde seria prejudicial para pessoas hipertensas.
  • Anemia: no caso de anemia ferropeia, evitar o consumo de chá verde, imediatamente antes ou depois das comidas, para evitar que os seus taninos interfiram com a absorção de ferro.

Como tomar o chá verde

  • Infusões de chá verde: São pouco aromáticas, de sabor amargo e de cor verdosa; a diferença do chá preto que é mais aromático, de sabor adstringente e a sua infusão é de cor avermelhada. Diferentes estudos sugerem que tomar 3 chávenas de chá verde ao dia, ajudam a proteger contra o cancro por dizer só um dos seus muitos efeitos benéficos para o organismo. Por outro lado, dado que contém substâncias estimulantes recomenda-se consumir as suas infusões com moderação.
  • Cápsulas de chá verde: Muitas pessoas não gostam as infusões, por tal razão os laboratórios farmacêuticos fabricam cápsulas de chá verde ou apresentações líquidas com extrato de chá verde. Nestes casos, deve-se seguir sempre as indicações do fabricante, especialmente quando o extrato não seja estandardizado, pois a concentração de princípios ativos pode variar duma marca a outra.
  • Extrato de chá verde: os extratos de chá verde também são utilizados para dar sabor e cor às bebidas, gelados e outras sobremesas lácteas. Em quanto aos corantes vegetais servem para a elaboração de cores como o preto, verde, alaranjado e amarelo, entre outros.
  • Receitas com chá verde: Além de consumir a infusão de chá verde na forma habitual, podes partir duma receita básica com uma colherzinha de chá verde por chávena de água a ferver, que deixarás repousar durante 10 minutos, para desfrutar de muitas variantes de chá verde tanto frio como quente.

Outros usos do chá verde:

  • Remédios caseiros de chá verde: Também pode aplicar-se à elaboração de diferentes remédios caseiros tais como compressas para aliviar a dor de cabeça ou cataplasmas para os olhos cansados, que podes fabricar aplicando os saquinhos de chá usados sobre as bolsas dos olhos.
  • Dicas de beleza com chá verde: Pelas suas propriedades adstringentes poderás elaborar receitas como este champô para o cabelo oleoso ou estas mascaras caseiras.

IMPORTANTE: A missão do "Chá verde e saúde" é te ajudar a estar informado. NUNCA substitua a consulta médica.

Nenhum comentário

Você pode comentar no Facebook e no Google +, ou se preferir fazê-lo de forma anônima no nosso sistema de comentários

Comente no Facebook
Comente na Innatia

Escreva seu comentário sobre "Chá verde e saúde"

Comente no Google+