Curta viajar com uma doença crônica como a fibromialgia

Como viajar com uma doença crônica, com as dicas da Carmen Ramos

Quer conhecer todos os segredos necessários para poder viajar sem problemas mesmo sofrendo de uma doença crônica? Carmen Minerva Ramos, nossa colunista sobre fibromialgia, é uma especialista em viagens que vai te contar tudo a respeito.

Nova coluna da nossa colaboradora habitual em fibromialgia! Carmen Minerva Ramos tem seu blog sobre fibromialgia (http://fibromialgiablog.blogspot.com), onde escreve habitualmente sobre todas as suas experiências com esta doença. Ela recentemente esteve de férias e agora nos conta como é isso de viajar com uma doença crônica.

O essencial para viajar com fibromialgia

Sou paciente de Fibromialgia. É uma condição de saúde limitante devido à dor e ao cansaço crônico que a caracterizam. Sempre amei viajar. Comecei a fazê-lo aos 20 anos e não parei mais. Aos 38 anos me diagnosticaram Fibromialgia (FM). Foi um desafio poder continuar desfrutando do prazer de viajar mas dei um jeito da melhor forma que pude para continuar fazendo isso.

Qualquer momento do ano é bom para viajar – seja com a família, com amizades ou sozinha. Quando se tem um problema de saúde que condiciona nossa vida e surge a oportunidade de viajar, nos passa pela cabeça o medo de como o nosso corpo vai responder às condições que requer a nossa viagem. Por isso é fundamental que a gente se prepare adequadamente para o momento de fazer turismo para que nossa saúde não estrague nossas férias.

Imagine que em pessoas que estão num estado de saúde totalmente favorável, uma má organização da sua viagem pode terminar provocando um forte estresse sobre eles, nem se fala no nosso caso. Então tome nota! Estas são sugestões gerais. Lembre-se que a fibromialgia ou qualquer doença crônica podem afetar de forma diferente cada paciente e tem gente com mais necessidades que outras. Use estas ideias como referente para que você possa preparar adequadamente para a sua viagem de acordo a sua condição específica de saúde.

Sobre seu destino e suas atividades:

Planeje e conheça bem a região para onde pensa ir

Leve em conta o terreno ao qual viaja. Se a sua situação de saúde te limita subir escadas ou caminhar por zonas muito empinadas, empedradas ou inestáveis, verifique onde fica o hotel, quando você deve ir de um lugar para o outro e com que condição climática vai ter que lidar. Talvez deva fazer ajustes de data para ir quando fizer melhor tempo ou buscar um hotel que não exija fazer muito esforço para chegar até ele. Há destinos que podem ser melhores que outros dependendo da sua situação pessoal.

Se você tem problemas de mobilidade, evite lugares em que você tenha que caminhar excessivamente. Se você sofre de vertigem, evite lugares muito altos. Só você conhece o que mais te afeta. Leve isso em conta quando planejar sua viagem, mesmo não se privando de desfrutar da sua viagem por suas limitações. Tente fazer os ajustes pertinentes. Quando visitei Teotihuacan – onde se encontram as pirâmides do sol e da lua –, no México, fui aos poucos subindo as empinadas e estreitas escadas que as distinguem e embora não tenha chegado ao topo pude curtir a vista dessa bela cidade pré-hispânica.

Seja prudente

Planeje as atividades que deseja realizar tendo em mente o que seu corpo te permite fazer. Talvez você adoraria fazer um percurso pela beira do lago da cidade que vai visitar ou montar à cavalo para passear pela praia mas se estas atividades não formam parte da sua rotina de vida também não deve incluí-las nas suas férias. Já aconteceu comigo de que o entusiasmo de fazer coisas diferentes me fez ignorar o que meu corpo pode ou não fazer. Caí na cilada do entusiasmo e em seguida me arrependo porque mal posso cumprir as exigências físicas que a atividade requer me frustrando ao perder meu tempo, o esforço e o dinheiro investido.

Deixe espaços de descanso

Vá com calma. Não tente fazer coisas demais para depois terminar agoniada. Neste caso aplique o ditado que diz que “menos é mais”. Se é uma viagem curta é preferível visitar uma cidade com calma, no seu ritmo e desfrutando de tudo o que pode te oferecer em vez de pretender conhecer um país completo em curto tempo. Se for uma viagem de férias, uma das atividades que não pode faltar é o descanso. Inclua-o no seu itinerário. No meu caso, se viajo por uma semana para alguma cidade do meu interesse, alterno dias de percurso com os dias de descanso. Posso planejar um dia de excursão ou passeio pela cidade e outro fico no hotel descansando e desfrutando do que me oferece: piscina, jardins, vistas, gastronomia.

Reserve as atividades que programar com opção a mudar

Trate de manter um itinerário flexível para que você possa realizar as atividades de acordo com as suas forças. Nosso corpo é imprevisível. Há dias em que acordamos muito bem, outros não. Por isso se torna difícil saber se o que planejamos com antecipação pode ser realizado. Em muitos lugares se conseguem atividades que podem ser realizadas sem ter que fazer reservas prévias, basta se apresentar no lugar. Há outros que te permitem fazer mudanças na data que você selecionou ou inclusive cancelar sem custo adicional.

Leia bem as políticas de trocas e cancelações daquelas atividades que você deseja reservar para que possa fluir de acordo com seus níveis de força e energia. Uma opção que eu acho boa é reservar para os primeiros dias da minha estadia aquelas atividades que podem exigir um maior nível de esforço da minha parte ao realizá-las. Assim, depois posso dedicar uns dois dias para descansar e me recuperar. Em cada viagem que realizo – e dependendo da sua duração – tento que as atividades que exigem maior esforço sejam limitadas.

Compre um seguro de viagens

Há uma gama de seguros de viagens e preços. Na hora de comprar seu seguro verifique qual é a sua cobertura. Obtenha um que dê atenção médica no caso de uma emergência, assim como traslados e estadia para um cuidador no caso de que a emergência exija. Além de cobrir a perda de malas, seu seguro deve contemplar as emergências ou desastres e os gastos que você pode ter no caso de acontecer algo. Se viajar frequentemente há seguros que cobrem o ano em vez de se limitar só na data e destino da sua viagem. Oriente-se e compre o seguro que responda melhor à sua necessidade e de acordo com o seu orçamento. Leve com você a informação do seu seguro e tenha à mão o número de contato do serviço médico ao qual deve chamar no caso de uma emergência.

Carmen Minerva

Truques para viajar com fibromialgia e que nada falhe

Faça uma lista

O fundamental é que a sua lista te ajude a preparar sua equipagem para essa viagem sonhada, reduzindo a chance de esquecer alguma peça importante e necessária ao viajar. Para preparar sua lista você pode revisar diversos modelos e seu conteúdo e ir selecionando aquelas coisas que sejam úteis. Pode ir adicionando ou eliminando tarefas ou coisas para personalizá-las de acordo com o destino que irá visitar, o clima ou época do ano em que viaja e o tempo que permanecerá no lugar.

Eu tenho listas diversas que utilizo de acordo com o destino, época e duração da minha estadia. Comecie com uma que encontrei na internet e que logo fui adaptando. Há algumas coisas que são básicas nas minhas listas e que vão aparecer em todas que tenho no meu computador – salvas na minha pasta dedicada a “viagens” – e que imprimo quando preciso delas: documentos de viagem, medicamentos, artigos de higiene pessoal, etc. A lista de verão inclui artigos necessários para a praia ou a piscina. A de inverno se enfoca no tipo de vestimenta que devo levar.

Leve em conta o clima

Certifique-se de levar a roupa adequada. Inclua na sua mala o tipo de roupa que costuma utilizar para a temperatura que vai encontrar no destino que for visitar. Se for em tempo de calor leve protetor solar, chapéus, óculos de sol e medicamentos pertinentes para enxaquecas ou cremes para queimaduras causadas pelo sol.

Se for em tempo de frio, não se esqueça dos seus gorros, luvas, cachecóis, medicamentos para alergia ao frio, hidratantes labiais e medicamentos para resfriados. É melhor estar prevenidos. Consulte na internet a temperatura que pode estar fazendo no seu destino para as datas em que você irá. Há aplicações que você pode instalar no seu telefone para que possa monitorar a temperatura diariamente aonde for viajar.

Leva sua documentação com você toda hora

Tenha à mão e junto com suas passagens (de avião ou trem) seu passaporte ou RG com foto, seus cartões de crédito e sua identificação de pessoa portadora de deficiência. Embora não vá dirigir no seu destino, sua identificação de pessoa portadora de deficiência pode ser útil para conseguir descontos ou utilizar a fila rápida para portadores de deficiência. Se você viajar para a casa de familiares ou amigos e eles se locomoverem em carro, você poderá também utilizar os estacionamentos disponíveis para pessoas com deficiência ao ter à mão sua identificação.

Faça dois conjuntos de cópias de todos os seus documentos, identificações e cartões de crédito. Um conjunto de cópias podem ser deixados na caixa de segurança do seu quarto ou num lugar seguro na sua equipagem. No caso de uma emergência ou perda dos originais, as cópias podem ser úteis. O outro conjunto de cópias debe ser deixado com uma pessoa da sua plena confiança com a qual possa se comunicar no caso de alguma emergência. Quando estiver nos seus percursos ou excursões leve apenas as identificações, cartões de crédito e documentação necessária deixando o resto na caixa de segurança do seu quarto. Quando a gente viaja não pensa em situações difíceis que possam surgir como por exemplo que roubem a sua carteira ou você tenha uma emergência. Por isso é melhor se prevenir.

Leve sempre seus medicamentos e kit de primeiros socorros

Fale com seu médico sobre sua viagem para que além dos seus medicamentos de rotina possa te receitar medicamentos que possam te fazer falta se surgir alguma complicação menor de saúde como uma gripe, infecção ou mal-estar estomacal. Leve medicamentos suficientes para a sua estadia e adicione para uns dois dias extra. Lembre-se que pode haver atrasos ou cancelações de última hora em que você seja obrigada a permanecer alguns dias a mais no seu destino.

Além dos seus medicamentos receitados, leve aqueles suplementos que utilizar para se manter no melhor estado de saúde. Uma boa opção é levar um minikit, onde inclua comprimidos para a dor de cabeça, estômago e diarreia. Consulte seu agente de viagens e verifique se a linha aérea ou a alfândega no destino ao qual se dirigir têm controles para medicação, traslado de equipamento médico e qual é a forma mais correta para levar seus remédios. Se é uma viagem que você está organizando por sua conta, pode verificar na internet. Muitas embaixadas têm sites na internet onde pode aparecer este tipo de informação. Em caso de dúvidas, você pode chamar diretamente a linha aérea, embaixada ou consulado e fazer a consulta.

Leve dois cartões de crédito e um pouco de dinheiro vivo

No caso de que o cartão de crédito que você tem previsto utilizar não funcione nos caixas ou sistemas eletrônicos do hotel ou lugares que visitar, o outro cartão ou o dinheiro vivo podem resolver. Quando chegars ao seu destino procure retirar dinheiro vivo num caixa, assim evita o pagamento de comissões em casas de câmbio. Nos principais aeroportos você consegue caixas automáticos. Se for pagar com cartão de crédito utilize a opção de pagar com moeda local, assim evita cobranças por serviço que seu banco possa efetuar na hora de fazer o câmbio da moeda local pela moeda do seu país. Tente obter um cartão de crédito que não cobre por transações internacionais.

Administre adequadamente o dinheiro vivo

E guarde-o sempre num lugar seguro. Carregue com você sozinho o dinheiro vivo que acredita que vai precisar. Não leve excesso de dinheiro vivo consigo a todos os lugares. As pessoas do lugar sabem bem que somos turistas e em muitas cidades há gangues de batedores de carteira que estão atentos às nossas distrações para pegar o nosso dinheiro.

Leve um registro de gastos durante sua viagem

Isto é para que você possa se manter dentro do seu orçamento. Tente pagar tudo que puder com cartão de crédito, é uma forma de levar um registro de gastos e das cobranças pelo serviço ao utilizar seu cartão, que podem ser mínimos quando você tem a vantagem de saber quanto vai gastando. Verifique com seu banco que você vai poder ter acesso ao seu estado bancário pela internet ou inclusive por seu telefone celular utilizando a aplicação do seu banco para seu telefone.

Que nunca faltem seus objetos imprescindíveis

Seu celular, tablet, câmera, carregadores, adaptadores de eletricidade e uma muda de roupa na sua equipagem de mão, para o caso de que sua equipagem se perca ou chegue com atraso ao seu destino. Decida que equipamentos eletrônicos vai levar com você. Lembre-se que esses equipamentos aumentam peso e além de tudo requerem que você os guarde tomando medidas de segurança.

Provavelmente um elemento imprescindível seja seu celular. Através do uso de diversas aplicações vai te permitir se manter informada de mudanças de temperatura e clima. Vai te ajudar a ter mapas, rotas e lugares que pode visitar. Se você é daqueles que tiram fotos com excelente resolução te economiza levar a câmera ou o tablet. Lembre-se de levar os carregadores de energia para os equipamentos que escolher levar. Além disso, eu te sugiro levar uma muda de roupa – incluindo roupa íntima. Pode ser útil no caso de que haja atraso na chegada da sua mala ou caso você deseje se trocar e estar cômoda enquanto estiver no avião ou assim que chegar no seu destino.

O que você acha desta lista? Acrescentaria alguma outra coisa? Espero que estas sugestões te sirvam para começar a planejar suas próximas férias. Você merece!

No próximo artigo eu vou te dar sugestões para o destino que escolher e o transporte que utilizará para chegar lá.

  • Enquanto isso, eu te convido a ver outros artigos em http://fibromialgiablog.blogspot.com/
  • Você também pode me seguir nas minhas páginas no Facebook: https://www.facebook.com/fibromialgiablogpr/ e minha nova página https://www.facebook.com/lagitanaviajera/

Outras colunas/entrevistas da Carmen Minerva na Innatia

  • Como estar de bem com a vida. A atitude, uma das bases na hora de combater qualquer doença crônica.
  • O que ecomer e que suplementos tomar. Outro ponto chave para que tudo funcione melhor com esta doença chamada fibromialgia.
  • Como desfrutar da sexualidade. Um aspecto que nunca se costuma mencionar da fibromialgia, contado a fundo por nossa colunista.

Você viaja apesar de ter fibromialgia ou outra doença crônica?

Gráfico da enquete: Você viaja apesar de ter fibromialgia ou outra doença crônica?

Sim

7/0

Não

1/0

Às vezes

3/0

Aonde você foi da última vez?




Nenhum comentário

Você pode comentar no Facebook e no Google +, ou se preferir fazê-lo de forma anônima no nosso sistema de comentários

Comente no Facebook
Comente na Innatia

Escreva seu comentário sobre "Curta viajar com uma doença crônica como a fibromialgia"

Comente no Google+