Como comer e que suplementos tomar para a fibromialgia, com a Carmen Minerva

O depoimento de uma paciente de fibromialgia

Quer saber qual é a melhor forma de se alimentar para a fibromialgia? E gostaria de conhecer quais os suplementos que se deve tomar para se sentir melhor? Pois então não perca este artigo com a Carmen Minerva Ramos, uma blogueira e paciente de fibromialgia que te contará seus segredos.

A fibromialgia é um problema cada vez mais difundido no mundo inteiro. São muitos os que vão descobrindo que sofrem deste mal. E também outros tantos que se percebem que a tinham e não sabiam o que era. Por isso mesmo, sempre é ótimo ler algumas palavras de incentivo.

Carmen Minerva é a proprietária de um blog onde fala das suas experiências com a fibromialgia (http://fibromialgiablog.blogspot.com/) e também uma pessoa que decidiu mudar sua alimentação a partir de sofrer este problema. É por isso que nos comunicamos com ela para que nos conte algumas questões a respeito.

Quem é Carmen

Carmen Minerva Ramos é uma educadora porto-riquenha, doutorada em Psicologia e Educação pela Universidade de Alcalá, em Madri, Espanha. Carmen teve que abandonar seu trabalho docente na Universidade de Porto Rico já há 5 anos devido a sua segunda crise aguda com a Fibromialgia.

A primeira crise aguda foi há 17 anos e a levou à neurologista, que após fazer múltiplos exames, determinou que sofria de fibromialgia. Desde 1998 Carmen luta diariamente para paliar a fibromialgia e ter a melhor qualidade de vida possível.

São muitas as mudanças e ajustes que realizou para poder continuar cumprindo seus sonhos, os que foram se modificando através de todo este tempo ao estar condicionados pela doença com a que vive. Entre as coisas que mudaram na vida de Carmen Minerva estão seus hábitos alimentares.

Alimentação e fibromialgia

-O que você decidiu mudar na sua alimentação assim que descobriu que tinha fibromialgia?

-A princípio eu já tinha feito mudanças nos alimentos que consumia devido ao refluxo gastroesofágico que sofria anos prévios ao diagnóstico de fibromialgia. Tinha deixado de comer carne vermelha e tentava comer da forma mais saudável possível. No entanto, ao sofrer de fibromialgia e começar a indagar sobre ela, soube que a alimentação podia ajudar a melhorar o sofrimento.

Ou seja, que se eu aprendia a consumir alimentos considerados “alcalinos” mais que os alimentos ácidos, receberia benefícios tanto para meu problema gastroesofágico como para a fibromialgia. Também aprendi que alguns alimentos podem ser “inflamatórios” embora sejam naturais e que devia consumi-los em quantidades mínimas.

Decidi ir a uma nutricionista para aprender a identificar melhor quais alimentos eram mais adequados. Uma das coisas que me chamou a atenção foi descobrir que “nem tudo o que diz natural ou baixo em” é o mais saudável e a importância que tem “ler as etiquetas” para saber o verdadeiro conteúdo dos produtos no mercado.

No processo reconheci que muitos alimentos embalados ou enlatados contêm um sem-fim de preservativos e corantes que reduzem significativamente a qualidade do alimento em questão. Aos poucos comecei a incorporar alimentos “vivos ou crus”, ou seja, alimentos recolhidos diretamente da planta ou da árvore, sem que sejam processados. As frutas e vegetais frescos, assim como os “germinados” são os de melhor qualidade, mais ainda se forem cultivados da maneira mais natural possível, como é o caso dos produtos orgânicos.

-Como era a sua alimentação antes e como é agora?

-Antes apenas consumia frutas e vegetais, razão pela qual nunca cumpria com o consumo de 5 unidades deste tipo de alimentos que requer uma dieta sadia e saudável. Consumia alimentos fritos, alimentos embalados ou enlatados e comia na pressa devido à pressão de tempo que sempre tinha por causa do trabalho.

Agora o momento de me alimentar é um “tempo sagrado” e aprendi a desgustar o que como, a desfrutar cada comida que preparo e consumo. A ingestão de vegetais e frutas, assim como de germinados e frutos secos são os ingredientes principais na minha dieta diária. Tento comê-los frescos para consumir todos os nutrientes que contêm pois ao cozinhar as frutas, vegetais e germinados, estes perdem nutrientes.

Uma maneira simples de me certificar que consumo suficientes nutrientes que estão nos alimentos “vivos ou crus” é utilizar como referência as cores destes alimentos. Eu consumo alimentos com dois tons de verde (escuro e claro) como base para todas as minhas comidas e aos quais adiciono outras duas cores para complementá-los.

Desse modo, tento comer uma ampla variedade de alimentos “vivos” consumindo os alimentos de temporada que costumam ter muito bom preço nos mercados.

Menu para a fibromialgia de exemplo

A seguir veja um menu para um dia da minha semana.

Café da manhã

  • Shake de frutas (de uma mesma categoria ou combinadas)
  • 1 fatia de pão integral ou de cereais, torrada e com azeite de oliva
  • 1 copo de leite de amêndoas de 8 onças (que posso consumir com o café ou chá)

Lanche da manhã

  • Um punhado de amêndoas

Almoço ou comida

  • Prato de salada com espinafre, pepinos em conserva, cenouras cruas e cogumelos temperados com azeite de oliva, sal e vinagre balsâmico
  • 1 pedaço do tamanho de um punho de peixe no vapor com especiarias (salsinha, manjericão, etc.)
  • 1 batata mediana no vapor

Lanche da tarde

  • Chá com duas (2) bolachas artesanais

Jantar

  • Prato de cereais integrais
  • 1 copo de leite de amêndoas de 8 onças (que posso misturar com o cereal)

-Te ajudou mudar a alimentação para paliar esta doença?

-Li muito sobre o assunto. Há estudos que indicam os resultados vantajosos que há em reduzir ou eliminar os alimentos que podem criar inflamação no corpo – embora sejam alimentos naturais, sem processar.

Embora a Fibromialgia não produza inflamação, é verdade que a inflamação produz dor, então levar uma dieta anti-inflamatória ajuda a prevenir a dor por inflamação alimentar. Eu notei no meu corpo. Eu me senti muito melhor desde que controlo o que como e vi que quando saio da dieta anti-inflamatória me sinto pesada, tenho afetada a digestão e sinto mal-estar geral.

Suplementos para a fibromialgia

-Você consome suplementos naturais? Que benefícios te trouxeram?

-Sim. Para mim foram fundamentais os suplementos. Particularmente para combater o cansaço crônico. Como tudo, não são produtos “milagrosos”. Não tem um produto “milagroso” que cure a Fibromialgia e é preciso se cuidar das pessoas que pretendem se aproveitar do nosso desespero para nos vender produtos muitas vezes com sobrepreço que na realidade contêm ervas naturais que se conseguem em qualquer loja de ervas ou de produtos naturais por um preço razoável. Eu vejo e anoto todos os componentes e a quantidade de miligramas de tudo aquilo que pretendem me vender para comparar. No meu caso particular e por tantos anos que levo manejando a fibromialgia em mim, fui minha própria “cobaia” experimentando produtos que me recomendam ou que leio que podem ser úteis.

Comigo funcionou muito bem a acácia-branca. É um arbusto oriundo da Índia, que cresce em regiões secas – muito fácil de semear e se reproduzir. É conhecida como um “superalimento” por suas muitas propriedades. É obtida já na forma de cápsulas que contêm a folha seca no seu interior. Eu consumo entre 1000 a 3000 mg diárias para combater o cansaço crônico e me resulta muito eficaz. É claro que se eu me excedo na minha capacidade de atividade diária não há suplemento que me ajude, mas o uso da acácia-branca me permite ter energia para fazer minha rotina simples cada dia.

Outros suplementos que me ajudam são o uso diário de uma boa multivitamina, tomar magnésio e cálcio em doses monitoradas por meu médico de cabeceira. Tudo o que eu tomo é sob supervisão médica embora sejam produtos naturais. São produtos que se conseguem em ervanários ou lojas de produtos naturais e até em farmácias com custos muito razoáveis. Busquei médicos que “criam” na combinação da medicina tradicional com a natural pois nem todos os médicos valorizam o aporte dos produtos naturais para seus pacientes. Recentemente adicionei o consumo de cúrcuma ou “turmeric”. É uma raiz família do gengibre que é um anti-inflamatório natural. Os árabes e os índios a consomem muito, inclusive para dar cor às suas refeições pois também é um corante natural de tom amarelo mostarda. Consumo-a em cápsulas de 1000 mg. Seu custo é bem acessível e se conseguem em ervanários, lojas de produtos naturais ou farmácias. Também se vende na forma de especiaria nos supermercados ou em mercados de especiarias com custo bem acessível.

-Algum outro truque alimentar ou remédio natural que quer recomendar?

-Como você deve ter notado, o principal para mim é conseguir produtos que sejam econômicos e com comprovado resultado pois são vários os que devo consumir diariamente. Enfatizo que este é meu caso específico pois uma das dificuldades que apresenta para os investigadores e médicos a fibromialgia éque cada caso é único, ou seja, que a doença afeta cada paciente de forma específica. Embora alguns tenhamos quadro da doença similar, nem sempre o tratamento que se dá um paciente é eficaz a outro com sintomas parecidos. Tanto o paciente como seus médicos devem ser “malabaristas” para ir buscando que medicamentos, alternativas alimentares e remédios naturais dão resultados. Daí parte do complicado que é conseguir controlar a doença ou encontrar um tratamento que possa se utilizar de forma generalizada para todos os pacientes. Não, a dor não desaparece mas se aprende a viver com ela, se consegue mantê-la em níveis toleráveis. Não, o cansaço não vai embora, mas você pode conseguir ter um nível de energia que permite fazer coisas básicas e que possamos desfrutá-las. Sim, a vida muda completamente. É preciso aprender a viver de outra maneira. É preciso aprender a viver com fibromialgia sem estar se lamentando pelo que devemos enfrentar.

-Algo mais que gostaria de acrescentar?

-Eu me considero uma guerreira feliz. Sou feliz embora tenha fibromialgia, embora esteja cansada e dolorida. Tenho dias bons e dias que não são. Aproveito ao máximo os bons – sem excessos. Tenho períodos de crise mas sei que vão passar. Trato de não me angustiar, não me desesperar pois isso alimenta a doença. Aprendi a viver um dia de cada vez. Tento ajudar os outros pacientes que vivem com fibromialgia contando minhas experiências através do meu blog: http://fibromialgiablog.blogspot.com/

Tenho a melhor disposição de apoiar quem foi diagnosticado com esta doença que não nos mata mas nos muda completamente a vida. Todos esses pacientes que leem esta entrevista e que sabem o que se vive, recebam o meu abraço de algodão. A vocês, obrigado pela oportunidade que me oferecem de levar esperança a quem como eu vive com dor e cansaço diariamente. É possível viver bastante bem mesmo que se tenha fibromialgia. Acredite nisso com fé, esperança e firmeza!

Carmen Minerva

Outros tratamentos para a fibromialgia

Se quiser conhecer outras formas de combater a fibromialgia, não vá perder estas recomendações. Ali você encontrará remédios, conselhos e terapias complementares que te ajudarão a paliar a doença da melhor forma possível.

  • Osteopatia para tratar os pontos dolorosos. Este tratamento é muito bom, pois pega da fibromialgia a partir de uma abordagem ampla, tratando-a com massagens, termoterapia, alongamentos e mais. Talvez seja uma boa oportunidade.
  • Cloreto de magnésio para melhorar as dores. Como disse Carmen, tomar magnésio pode te ajudar a acalmar as dores da fibromialgia. fazer isso através do cloreto de magnésio pode ser uma excelente ideia.
  • L-carnitina contra a fadiga. Este suplemento pode te dar excelentes resultados. Combate a fadiga crônica e a dor eficazmente.

Você cuida da alimentação para a fibromialgia?

Gráfico da enquete: Você cuida da alimentação para a fibromialgia?

Sim, sempre

32/32

Sim, às vezes

24/5

Sim, mas muito pouco

18/7

Não, mas deveria começar a fazê-lo

20/12

Não, não me cuido

5/12

Que cuidados você toma?




3 comentários no "Como comer e que suplementos tomar para a fibromialgia, com a Carmen Minerva"

Você pode comentar no Facebook e no Google +, ou se preferir fazê-lo de forma anônima no nosso sistema de comentários

Comente no Facebook
Comente na Innatia
¡Carregando comentários!

maria das graças ...

oi bom dia sofro com fibromialgia e amei conhecer esse site.
Parabéns que DEUS abençoe mais e mais pra sempe.

0

26 de Mar, 2016 - 11:14:23

Maia ...

Evitar enlatados, exercícios, evito perder noite, não me stressar, tomo diariamente a medicação

0

31 de Mar, 2017 - 12:45:49

Adalgisa Gomes ...

Produtos naturais.Menos café e refrigerantes.Menos carne vermelha.

0

10 de Set, 2017 - 13:44:07

Escreva seu comentário sobre "Como comer e que suplementos tomar para a fibromialgia, com a Carmen Minerva"

Comente no Google+