Hipomagnesemia e hipermagnesemia: como e quando se produzem estes transtornos

Tanto a deficiência como o excesso são ruins

O magnésio é imprescindível para que o organismo possa cumprir muitas funções essenciais. Na atualidade a deficiência deste mineral é comum e traz junto inúmeros problemas. Porém, seu excesso também é prejudicial. Saiba como não sofrer nenhum destes dois extremos...

Como você já deve saber, o magnésio é o segundo mineral mais abundante presente no corpo humano e cumpre funções essenciais para a sua saúde.

Por exemplo:

  • Desempenha um papel fundamental na transferência de energia.
  • É muito importante para o correto armazenamento e uso de proteínas, carboidratos e gorduras no metabolismo.
  • Ajuda na manutenção da função normal da membrana celular.
  • É vital na regulação da secreção do hormônio paratireoide.

Em condições normais, o conteúdo total de magnésio no corpo de um adulto, ronda entre as 25 e 1.000 miligramas.

Destes, aproximadamente 60 % está presente nos ossos, 20 % nos músculos, e os outros 20 % nos tecidos moles.

Devido às importantes funções que cumpre no organismo, tanto sua deficiência como sua superabundância, são motivos de grandes transtornos na saúde. Sabia?

O que é a Hipermagnesemia

É um transtorno hidroelectrolítico no qual há um nível muito elevado de magnésio no sangue. Debe-se habitualmente ao excesso deste elemento no corpo.

Ocorre raramente, só em casos de:

  • Insuficiência renal: os rins não são totalmente eficazes em excretar o excesso de magnésio. Além disso, quem sofre desta doença recebem sais de magnésio ou tomam drogas que contêm magnésio, como por exemplo, antiácidos e laxantes.
  • Pessoas que sofrem acidose diabética.
  • Quem sofre de doença de Addison ou desidratação.

Mas como você pode saber que sofre de excesso de magnésio no seu corpo? Veja como se manifesta este problema…

Sintomas gerais de hipermagnesemia

  • Flacidez muscular
  • Hipotensão
  • Parálise muscular
  • Transtornos neuropsíquicos

Por outro lado, temos a deficiência deste mineral, que é muito mais comum que a hipermagnesemia. Vejamos do que se trata, que tal?

O que é a hipomagnesemia

Também conhecida como deficiência de magnésio. Segundo os especialistas em nutrição, é um mal muito comum nestes dias.

Pode ter diferentes causas:

  • Uma dieta pobre e mal balanceada
  • Má absorção intestinal
  • Ocorrência de longas diarreias
  • Aplicação de sonda naso-gástrica com aspiração
  • Alcoolismo
  • Aleitamento excessivo
  • Diabetes mellitus
  • Terapia com diuréticos

Esta deficiência traz junto inúmeros desajustes no corpo e deixa um terreno fértil para o desenvolvimento de inúmeros problemas de diferente tipo e gravidade.

Os sintomas gerais mais característicos deste estado são:

  • Fraqueza geral do corpo.
  • Falta de tônus muscular.
  • Cansaço
  • Irritabilidade
  • Espasmos musculares e tremores
  • Delírios
  • Convulsões
  • Confusão mental
  • Náuseas e vômitos
  • Arritmias cardíacas

Apesar da importância reconhecida pelos especialistas em nutrição, do magnésio, é muito comum que a maioria das pessoas sofram com ela.

O consumo diário recomendado de magnésio é de 400 a 600 miligramas para um adulto.

fuentes de magnesio

Como evitar a deficiência de magnésio

Para que isto não te aconteça você pode adotar estes hábitos no seu dia a dia:

  • Tente manter uma dieta balanceada, rica em alimentos nutritivos.
  • Consuma alimentos ricos em magnésio: cacau, frutos secos, espinafre, camarões, etc.
  • Incorpore na sua dieta diária algum suplemento de magnésio.

Qual é o melhor suplemento de magnésio?

O que mais popularidade ganhou e do qual se realizaram inúmeras investigações científicas, é o cloreto de magnésio.

Sobretudo, se destaca seu grande poder de absorção e digestibilidade: o corpo o assimila rapidamente. Com o qual em pouco tempo se podem reverter os efeitos negativos da deficiência de magnésio.

Apresentações e consumo do cloreto de magnésio

Quando for adquiri-lo, você vai encontrá-lo apresentado em três formas:

  • Em comprimidos
  • Em cápsulas
  • Cristalizado

Se você nunca o consumiu ou pelo contrário o fez mas não lembra, aqui você tem a solução: veja este instrutivo vídeo que vai tirar todas as suas dúvidas…

Você sofreu de hipomagnesemia ou de hipermagnesemia?

Gráfico da enquete: Você sofreu de hipomagnesemia ou de hipermagnesemia?

Sim, sofri de hipomagnesemia

10

Sim, sofri de hipermagnesemia

18

Sofri os dois transtornos

4

Não sofri nenhum dos dois transtornos

7

Com que remédio natural você as tratou?




IMPORTANTE: A missão do "Hipomagnesemia e hipermagnesemia: como e quando se produzem estes transtornos" é te ajudar a estar informado. NUNCA substitua a consulta médica.

1 comentário no "Hipomagnesemia e hipermagnesemia: como e quando se produzem estes transtornos"

Você pode comentar no Facebook e no Google +, ou se preferir fazê-lo de forma anônima no nosso sistema de comentários

Comente no Facebook
Comente na Innatia
¡Carregando comentários!

sonia couto ...

Boa Noite!

Foi com muita esperança que li todas as informações acima. Tenho um irmão que faz hemodiálise, ainda urina. Gostaria de saber se ele pode usar o magnésio ou não?
Qual seria a dosagem?
Aguardo retorno.

Grata

Sonia

0

12 de Mai, 2016 - 00:04:21

Escreva seu comentário sobre "Hipomagnesemia e hipermagnesemia: como e quando se produzem estes transtornos"

Comente no Google+